EI! Não vá ainda

Fique por dentro de todo nosso conteúdo.

Aproveite também e assine nossa newsletter
para não perder mais nada.

Quase no final... Precisamos confirmar o seu endereço de e-mail.
Para concluir o processo de assinatura, clique no link existente no e-mail que
acabamos de enviar para você.

Como criar um orçamento familiar


  • Como criar um orçamento familiar

    (Link para a planilha no fim deste artigo)

    Desentendimentos e stress causados por assuntos de dinheiro podem trazer muitos conflitos para o relacionamento de um casal. Por isso, criar um orçamento familiar mensal é uma ferramenta muito útil. Ela ajuda não apenas a controlar o seu histórico de despesas, mas também a analisar como você usa o seu dinheiro e identificar áreas de despesa excessiva, onde é possível poupar.

    O orçamento mensal é uma ótima forma de organizar as suas finanças do casal porque coloca diante dele de forma simples e rápida a informação básica sobre todos os movimentos do seu dinheiro. Ali está resumida toda a nossa vida financeira num pequeno mapa onde as orientações surgem da conjugação dos números.

    Mas por onde começar?

    É muito simples elaborar um orçamento familiar em apenas 4 passos:

    1. AS RECEITAS

    Todo o dinheiro que entra. Podem ser receitas fixas, como salário, ou variáveis, como comissões e vendas. Se não há como saber o valor exato até recebê-lo, você pode trabalhar com uma estimativa.

    2. AS DESPESAS FIXAS

    Despesas fixas são aquelas que ocorrem regularmente e têm um valor relativamente constante, como por exemplo, água, luz, telefone, condomínio, alimentação, gás, prestações ou aluguel etc.

    3. DESPESAS VARIÁVEIS

    São aquelas que sempre acontecem mas não o valor não é constante, podendo em alguns meses ser de montante considerável e em outros de montante mínimo ou zero, como por exemplo, lazer, viagens, consertos e reparações, etc.

    4. SITUAÇÃO LÍQUIDA

    Uma vez ingerindo as informações do 1 ao 3, subtraímos todas as despesas das receitas.

    Se o saldo for positivo, mostra que existe margem para investimentos e poupanças.

    Se o saldo for negativo, temos um sinal de alerta que aponta a necessidade de fazer algo rapidamente para mudar este resultado.

    Se o valor for nulo, também é necessário identificar áreas de ajuste nas despesas ou considerar aumentar a receita.

    DICAS

    O casal deve sentar com lápis e papel na mão, calculadora, extratos bancários etc. e reunir toda a informação no orçamento familiar conforme explicado acima. Daí, deve atualizar os dados pelo menos uma vez por mês, de preferência perto do final do mês, com o objetivo de avaliar os seus gastos e ganhos e identificar o que melhorar para o mês seguinte.

    Lembre-se que “orçamentar” significa estimar. Portanto, a função principal desta ferramenta é todos os meses estimar o mês seguinte para que depois possa analisar desvios no que foi estimado.

    É comum na maioria dos casais um parceiro ser melhor na criação e manutenção desta ferramenta do que o outro. Portanto, se seu marido ou esposa não é do tipo que vai sentar e fazer isso com você, não se chateie. Apenas faça você e então apresente a informação a ele ou ela. O importante é terem os números diante de vocês para que sirvam de base para decisões e planos financeiros que afetam a família.

    Você pode usar um simples caderno com linhas para fazer seu orçamento todos os meses, à venda nas papelarias. Mas hoje é muito mais fácil fazê-lo em um computador, onde os cálculos são feitos automaticamente. Alguns bancos fornecem esta ferramenta para seus clientes. De qualquer forma, coloco aqui neste link um exemplo de uma planilha de orçamento familiar para Microsoft Excel, que você pode baixar e adaptar para a sua situação. Se o link anterior não funcionar, tente este.

    CONCLUSÃO

    Fazer um orçamento familiar não é bicho de sete cabeças. Mas é uma ótima forma de lembrar a regra principal de economia: gastar menos do que ganha.

Acesse também

Free WordPress Themes, Free Android Games