Blog

Quem tem acompanhado a história de Nabucodonosor na novela “O Rico e Lázaro”, deve ter ficado impressionado com os últimos acontecimentos na vida do homem chamado de “rei de reis” de tão poderoso que era em sua época.

Um dos ensinamentos que esse episódio revela é o quanto Deus luta para alcançar uma pessoa perdida. Ele emprega todos os recursos para salvar os mais simples e também os mais poderosos. Ele ama e quer o bem de todos, até mesmo de gente como Nabucodonosor, que tinha matado milhares de pessoas, destruído Jerusalém, queimado o Templo e provocado tanto sofrimento aos judeus.

A primeira tentativa de salvar o monarca surge quando o Altíssimo o põe rodeado de pessoas fiéis, como Daniel e seus três amigos que testemunharam a ele a fé verdadeira.

Além disso, ao longo dos anos, Nabucodonosor recebeu mensagens e teve grandes demonstrações da existência e do poder de Deus, como no caso da fornalha ardente. A princípio ele reconhecia, esboçava algum desejo de mudança, mas depois voltava a viver como se nada tivesse acontecido.

Até que recebeu o último alerta do Todo-Poderoso para se arrepender, mas não atendeu.

Precisou perder o entendimento, o poder, o acesso aos banquetes, aos belos trajes, para literalmente comer capim junto dos animais selvagens. Ele ficou humilhado como um louco por sete longos anos, sem nenhum discernimento. Um modo estranho para nós, mas perfeito para Quem conhece as profundezas do coração e sabe o que funciona com cada um.

Portanto, até neste duro golpe, vemos o amor de Deus, pois era a Sua derradeira advertência, antes do juízo eterno. Como se Ele dissesse: Basta!!

Existem muitos como “Nabucodonosor”, que conhecem a Verdade, veem todos os dias o bom testemunho dos familiares ou amigos cristãos, já experimentaram livramentos e já foram repreendidos, mas mesmo assim continuam caminhando na rota do inferno, ou seja, vivendo em plena desobediência a Deus.

Creio que nunca houve na terra, um tempo em que as pessoas fechassem tanto seus ouvidos para as advertências espirituais como há hoje. Por isso, não restam alternativas, senão também serem golpeadas pelas dores, a fim de se renderem. A intensidade dos golpes será proporcional a dureza de seus próprios corações.

Infelizmente, tem gente que para abrir os olhos espirituais, precisa “comer capim”. Somente no pó encontrarão a cura para o seu orgulho.

Então, você que luta por um familiar ou amigo obstinado, o típico “cabeça dura”, não fique perplexo ao vê-lo caminhar para o fundo do poço.

Na Sua benignidade, Deus permite desertos, humilhações, verdadeiros “vales da sombra da morte”, só para mostrar a essa pessoa, que somente UM é Soberano sobre toda criação, sobre todos os governos, sobre questões pequenas ou grandes. Só há UM Senhor e Sua é a autoridade, o poder, pelos séculos dos séculos.

Aos teimosos e rebeldes, resta o apelo veemente que eles só têm dois caminhos, se não mudarem: sofrerão duramente até serem quebrantados ou irão continuar sofrendo por toda a eternidade no inferno.

Por isso, finalizo que felizes são os que logo reconhecem o senhorio de Jesus e se curvam a Ele em total submissão, e, voluntariamente se deixam ser conduzidos pela Sua Mão amorosa.

Até a próxima semana! 🙂

 

Colaborou: Núbia Siqueira

Participe! Deixe seu comentário sobre este post