Blog

Eis um fato que não precisa de pesquisa para se ter uma ideia da porcentagem exata:
As pessoas não querem sofrer, fogem de tudo que possa trazer algum tipo de dor ou sofrimento.

Dentro dessa fuga, na maioria das vezes, está o terror de todo ser humano: VIDA AMOROSA.
A vida amorosa para muitos é sinônimo de tristeza, traumas, sofrimentos e muita, muita dor e decepção. Não sabendo como lidar com isso, o que fazem? Fogem de medo, para não viverem novamente o que passaram.

Então, a melhor solução possível é:

  • Se não quer sofrer, é melhor que não se case.
  • Homem não presta mesmo, melhor ser independente e cuidar da minha carreira.
  • É melhor somente morar junto; pois se der errado, cada um vai para um canto e tudo está resolvido.

E por aí vão muitas ideias para não ter de sofrer ou ao menos tocar no assunto RELACIONAMENTO.

O fato de muitas pessoas terem péssimas referências e experiências na vida amorosa faz com que elas se afastem cada vez mais do sonho de se casar e ter uma família, como se isso fosse algo do passado e que nos dias de hoje é só uma história para ser contada nos museus como: – Eis aqui uma família.

Para se ter uma vida amorosa feliz e realizada é preciso primeiro crer que a família não está extinta, mas está sendo evitada pelo medo de dar errado.

Não tenha medo de mexer na ferida, se for preciso, para que ela venha ser definitivamente sarada e cicatrizada. Não tenha medo de enfrentar suas dores para que, de uma vez por todas, vença o passado e consiga ser feliz por completo.

Eu sou o Senhor, o Deus de vocês; eu os seguro pela mão e lhes digo: Não fiquem com medo, pois eu os ajudo. (Isaías 41:13)

Então, não tenha medo porque você NÃO está sozinha. Coloque Deus à frente e Ele lhe dará coragem para vencer todo o seu passado.

Fazendo isso, o sonho de ter um casamento feliz e uma vida amorosa realizada será possível.

Quer aprender sobre isso na prática? Participe, então, de uma das palestras da Terapia no Amor e saiba como vencer todos os seus medos.

Por: Cintia Cucato

Colaborou: Cristiane Cardoso

Participe! Deixe seu comentário sobre este post