videos

Esse é o segundo post da série “Autoconhecimento”. Veja o post anterior nesse link.

Quando queremos abrir um negócio, procuramos referências de quem já abriu um negócio semelhante: o que eles fizeram primeiro, qual a documentação necessária, quais as implicações e dificuldades iniciais, enfim, começamos com uma referência para então, a partir daí, fazermos igual. É assim que todo ser humano funciona também na vida, vivemos de referências.

A primeira referência que temos é da mãe e do pai – pessoas que estão ali para cuidar de nós, para nos ensinar a andar, a falar, e a desenvolver na vida. Hoje, o número de pessoas sem essa referência primária é assustador. Muitas pessoas não tiveram a mãe presente, muito menos o pai.

O mercado de trabalho, a demanda financeira, a desestrutura familiar, a ostentação e os padrões altos, a reputação diante das outras mulheres, o sonho de carreira etc. – tudo isso tem tirado a mãe de casa, e a referência que as crianças têm da mulher, mãe, homem, pai, casamento, família e lar não é a melhor…

Mulher que é mulher tem de estar fora de casa
Mulher que é mulher tem de estar sempre ocupada
Mulher que é mulher tem de estar em um relacionamento
Homem é tudo igual
Homem trai
Homem abusa
Homem é bruto
Quem manda em casa é…
Não existe casamento feliz
Não existe família feliz
Não há diálogo
Não se fala o que pensa
Às vezes é preciso ser agressivo
Nem todo mundo nasceu para ser feliz
Você vale aquilo que tem
Você vale a sua carreira
Você só é bonita se o seu cabelo está…
Você só tem valor quando tem…
Ninguém lhe entende
Não confie em ninguém

Essa lista é muito maior, infelizmente. É por isso que precisamos alinhar bem as nossas referências. Se nossos pais não puderam ser boas referências, hoje podemos escolher outras. Se a nossa família não serviu de referência, vamos mudar a nossa referência de família! O mesmo podemos dizer sobre homens, casamento, e até mesmo Deus.

Ouça o audio a seguir para complementar e ouvir, reflita se as referências que teve na vida foram as melhores, caso não, que tipo de referência você tem adquirido através da Palavra de Deus?

Colaborou: Cristiane Cardoso

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: