Blog

Tenho falado aqui sobre a importância de ler e os benefícios que a leitura traz, mas é importante fazer um alerta: é necessário ser seletivo na hora de escolher o que vai colocar dentro da sua cabeça. Considere o seguinte: livros são como comida. Tudo o que você lê, alimenta sua mente. Mas por “alimenta a sua mente” não entenda que são bons. Nem tudo tem nutrientes. Listo algumas categorias, mas sua cabeça pode encontrar outras, facilmente. É só fazer a comparação.

Literatura junk-food: De consumo rápido, bastante prazerosa, super calórica, mas sem nenhum nutriente. Não vai te acrescentar nada, mas também não vai tirar…informação inútil, mas que engorda, enche espaço, gasta tempo. Mas pode ser gostosinha, então consuma com moderação, se quiser consumir. Bem comum encontrar romances de entretenimento de massa nesta categoria. Daqueles escritores que publicam a granel, tipo Nora Roberts ou Sidney Sheldon. Boa parte da literatura Chick-lit ou se encaixa aqui, ou na literatura-balinha, mas tem muitos estragadinhos…

Literatura balinha: É docinha, gostosa, mas você não pode se alimentar somente dela, pois não tem nutrientes, nem calorias suficientes para uma refeição. São as leituras rápidas de entretenimento, alguns contos, alguns livrinhos infantis engraçadinhos, para crianças de cinco anos (eu amo alguns deles…rs…).

Literatura saudável: Não faz mal, tem bons nutrientes, de sabor agradável, te mantém viva e em condições de se exercitar, mas não faz milagres. E não tem muita “sustança”. Alguns livros técnicos e de não-ficção se encaixam tranquilamente nesta categoria. Alguns romances, também, graças a Deus.  Algumas biografias, alguns livros de receitas, alguns livros infantis…não posso generalizar nada, pois existem os estragados e os envenenados em todos os gêneros.

Literatura funcional: Não apenas te mantém saudável e tem bons nutrientes, mas contém nutrientes que podem restaurar células danificadas, reverter processos degenerativos e prevenir problemas sérios. Aqui se encaixam alguns livros cristãos, principalmente.

Literatura medicinal: Além das características da literatura funcional, ela tem a capacidade de curar a sua alma e faz milagres por seu espírito. Essa categoria é exclusiva para a Bíblia e livros cristãos top de linha, como Mulher V, Crentes Possessos, Nos Passos de Jesus e qualquer coisa que seus autores escrevam.

Literatura estragada: Ela pode vir com aparência cristã ou não. Na verdade, ela tem a cara de qualquer tipo de livro…engana legal. A maioria dos livros evangélicos – infelizmente – se encaixa nesta categoria. Eles parecem literatura funcional, mas têm toxinas invisíveis crescendo entre suas páginas, que irão intoxicar sua fé. Todo cuidado é pouco. Nesta categoria você também encontra livros de filosofia e teologia, principalmente aqueles que falam sobre o que outras pessoas falaram. É como se você comesse comida mastigada e regurgitada. Eca…é óbvio que já chega até você estragada. Encontra romances, biografias…enfim, é uma categoria bem eclética e democrática.

Literatura envenenada: Alguns livros evangélicos estão nessa categoria. Parecem perfeitos, mas um veneno embutido pode matar sua fé. Ou você mesmo. A diferença para a estragada é que esta é de ação mais rápida.  Muitos livros de filosofia e ciências sociais se encaixam aqui.

Literatura venenosa: A literatura envenenada vem com uma cara boa, mas tem um veneninho dentro. Já a literatura venenosa, é o próprio veneno. Ela não se disfarça. Você olha para ela e já sabe que é totalmente contrária à sua fé, que irá te colocar para baixo…mas se insiste em ingerir, problema é seu. Sabe que está comendo veneno puro. É o tipo de coisa que é melhor manter longe de sua vida. Não é nem comida, na verdade…é como cigarro, cachaça, cocaína… Melhor manter distância segura.

 Mas Vanessa, como vou saber identificar o que estou comendo? Eu começo lendo os rótulos. Leio a contracapa e a orelha (esses dias alguém me perguntou o que era a orelha do livro: é aquele pedacinho da capa dobrado para dentro, que tem informações sobre o livro e o autor, sabe?), pego o nome do autor e pesquiso na internet…procuro resenhas positivas e negativas…e dou uma lida nas primeiras páginas em alguma livraria. Todo cuidado é pouco. A Thaís, minha colega da Folha Universal (apesar de eu não trabalhar na Folha Universal, ela é minha colega…rs….) e leitora deste blog, me disse que lê o final do livro para ver se vale a pena…eu não recomendo, porque pode matar o livro, mas no desespero, testei esses dias com um que pensei em ler e vi que essa estratégia tem lá seu valor quando você não sabe nada sobre o livro, o autor é desconhecido, a capa é esquisita, a contracapa não diz nada, o livro não tem orelha e você não tem como fazer uma pesquisa no Google. Aí não tem jeito.

Não vale a pena colocar qualquer porcaria na sua cabeça. Não vale a pena se empanturrar, ficar doente ou se envenenar lentamente. Você não precisa comer apenas super alimentos, é claro, nem é obrigado a viver em uma rígida dieta saudável. Uma balinha, um docinho, um sanduíche de vez em quando não matam ninguém. Mas cuidado com o veneno e com as toxinas.

Em tempo: tem gente que morre de medo de ler histórias de vampiros, lobisomens, zumbis, alienígenas e afins, achando que todos eles são envenenados ou estragados. Eu, sinceramente, acho que esse tipo de ficção é o menos perigoso. Sim, porque você já sabe o que vai encontrar, então é como se mastigasse um chiclete. Sente o docinho, acha bom, mas não engole. Sabe que é ficção, então não vai encarar como realidade. Eu tenho mais receio dos que se fazem passar por evangélicos ou por filosóficos.

Cuidado com o que você lê, leia os rótulos, se informe, conte as calorias e monte um cardápio balanceado. Livros são maravilhosos e podem te trazer excelentes experiências, como tenho dito sempre aqui, mas preciso alertar aos leitores iniciantes sobre os perigos de se encher de chocolate ou de mastigar uma porção de sementes de maçã. Saboreie a boa literatura, seja seletivo e não aceite comida de estranhos. 🙂

PS: Isso não vale só para livros. Artigos em revistas, jornais e na internet também se encaixam nessas classificações. Ah, e nem todo site religioso é amigo…na verdade, quase nenhum.

Vanessa Lampert

Quer ler todas as resenhas? Clique aqui. 

 

Colaborou: Vanessa Lampert

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • denise batista

    é verdade leitura somente aquelas que edificam!!!

  • Fernanda

    Oi, Vanessa!

    Sobre os Livros das “Crônicas de Gelo e Fogo” de G.R.R. Martin, O que vc diria deles? São bons? Devem ser lidos? …Vejo muitos comentarios sobre eles, dizendo que são bons. Mas como a voz do povo não é Voz de Deus. Ainda prefiro recuar em relação a eles. Ainda não fiz uma busca minuciosa sobre o autor e desejaria que vc comentasse!

    Um Abraço

  • Amei, esse artigo estava precisando dele. Sanou todas as minhas dúvidas. Agora não sei o que faço com o vários livros que tenho sobre anjos que a partir de agora não me interesso mais, graças ao artigo. Sobre o livro do Rick Riordan, mitologia grega e afins, tem símbolos que vai contra a minha fé. É pecado eu deixá-lo na estante só de enfeite? Não irei lê-lo, e não quero fazer troca tão cedo… O que me sugere. Fora uns títulos que tenho em casa, que vou tomar cuidado agora…
    Obrigado pelo post, Deus a abençoe!

  • DedéiaBsb

    Olá.
    Eu leio de tudo um pouco. Sou amante da leitura. Desde livros técnicos aos romances.A leitura abre a mente das pessoas.Todo livro sempre tem algo de bom a acrescentar.A leitura desenvolve o vocabulário, a interpretação e a escrita além de trazer vários benefícios ao leitor.O conhecimento é muito bom e agrega muitos valores.

    • É verdade, Dedéia também sou assim, leio de tudo e sou uma ardorosa defensora dos benefícios da leitura. No entanto, escrevi este texto para deixar claro que nem todo livro tem algo de bom a acrescentar. Alguns tiram mais do que acrescentam, pois qualquer um pode escrever qualquer livro sobre qualquer coisa, então é necessário estar sempre atento ao que a gente coloca dentro da nossa cabeça, assim como nem tudo que existe para se comer deve estar em nosso prato.

      Beijos!

  • Raf

    Oi, Vanessa! 😀
    vc podia usar essa classificaçao para cada resenha que vc posta aqui. Dizer qual tipo de leitura é cada livro… Bjs ;]

    • É verdade, Raf! Vou fazer isso, sim! Valeu pela ideia. 🙂

  • Anderson Felix

    Bom, eu particularmente, não achei claro o que você acha dos livros do Sidney Sheldon, qual é sua opinião sobre o autor?
    Espero que seja algo positivo U.U

    • Tá no texto, Anderson: “Não vai te acrescentar nada, mas também não vai tirar…informação inútil, mas que engorda, enche espaço, gasta tempo. Mas pode ser gostosinha, então consuma com moderação, se quiser consumir. ”

      Sabe batata frita? Refrigerante? É gostosinho, mas não tem nenhum nutriente. Calorias vezias. Faz muito tempo que não leio Sidney Sheldon, eu gostava, como batata frita, mas da última vez que li eu não tinha o discernimento que tenho hoje para analisar…então só posso dar uma opinião mais concreta depois de reler, coisa que farei em minha próxima visita à livraria. Depois te conto.

  • Lívia

    Cris e Vanessa,eu li esse livro quando não tinha muita experiência na fé,e confesso que fiquei emocionada com o livro.Mas,depois eu fui aprendendo a usar a fé inteligente e percebi que não era nem pra eu ter lido!Pois ainda estava no começo de tudo,e qualquer dúvida seria fatal!Obrigada,Vanessa,pelas dicas.

  • Dani

    Olá Vanessa, fiquei em dúvida a respeito do livro A Cabana. Você tem alguma opinião sobre ele? Desde já agradeço!

    • Cristiane Cardoso

      Dani, eu li e odiei esse livro.

      • kkkkkkk….quem sou eu para dar alguma opinião depois de um comentário tão direto? Mas fiquei curiosa, Cris, de que exatamente você não gostou do livro (não vale dizer “de tudo”). Já li e tenho ele em casa, mas teria de ler de novo para dar uma opinião decente (memória de peixinho dourado é fogo).

      • Cristiane Cardoso

        Olha Nessa, pra mim foi pura perda de tempo. O livro não acrescentou nada em minha vida, além de passar a ideia de que Deus pode ser uma mulher ou qualquer pessoa que você precise que Ele seja. Todos aqueles efeitos estranhos do ‘Espírito Santo’ não tem nada a ver com com Espírito Santo que eu conheço. Detestei o livro… faz um tempinho que eu o li, uns três anos, e a lista do que eu não gostei era bem maior então, imagine!

      • Obrigada por responder! 🙂 Dei uma olhada nele hoje cedo e me lembrei dos detalhes…caramba, acho que tinha bloqueado as lembranças dele…rs…elas voltaram assim que comecei a leitura. Não foi muito marcante para mim. Realmente, acho que o pior do livro é dar uma impressão errada da trindade, mostra Deus de uma maneira que ele não é (não só por ser uma mulher, mas por uma ampla flexibilidade de valores), mostrar Jesus como um bobalhão (eu achei, pelo menos) e o Espírito Santo mais parecia uma fada!! E tem a parte em que ele encontra a filha morta no “céu”…

        Enfim, talvez valha uma resenha completa explicando por que não ler (tem que ter uma resenha negativa de vez em quando aqui, não?…rs…), já que esse livro é muito aclamado e visto como algo positivo e deve despertar o interesse de muita gente que está começando na fé (e que já está na fé, também, mas para quem está começando ele pode ser perigoso).

        Seus comentários foram um excelente resumo do pior do livro e receba minha profunda admiração por seu cérebro ainda guardar isso depois de três anos…rs…

  • Mirian ferreira

    hoje acabei de ler esse livro maravilhoso que
    que mudou minha vida nas primeiras paginas lidas.
    converso que me beliscou muitas vezes mais, no final me fez chorar
    por me identificar com este livro.
    precisava lelo pois tinhas muitas coisas para ser a mulher v so precisava ser lapidada e foi através dele que hoje farei tudo diferente e com certeza serei uma mulher virtuosa!
    obrigada por tudo

    Mirian ferreira

  • Hmmm me ajudou bastante, estava começando a ler muitos junk-foods 🙁

  • carol,VISEUportugal

    Olha Dona Cris,eu vou deixar aqui o meu exemplo. comigo é muito dificil tirar da cabeça todo o conteúdo,todo o lixo literario q li até hoje.
    a nivel da mente humana, pensamentos,filosofias,livros de auto ajuda, artugos cientificos e até mesmo artigos da internet.
    o que eu peço a Deus é que me retire toda a essa informaçao da mente que me fez andar a confundir me este tempo todo e deixar os outros confusos.
    tomara eu ter conhecido os ensamentos da biblia a mais tempo e ter conhecido o blog da Dona Viviane, dona , Dona Crism , Dona Nanda, Bispo Macedo, Bispo Julio, Dona Esther , Bispo Renato.
    pois sao estes blogs q me estão a ajudar a retirar , arrancar tudo q estava cá dentro e colocar boa e nova informação.
    E Agradeço a Deus por essa benção. e uma fonte limpa que faz brotar em mim águas vivas.
    todos os dias de manha depois de ler a Biblia , leio cada um deles e isso ajuda me muito.tem sido muito gratificante.

  • Patrick

    Olá dona Vanessa, sou obreiro da IURD de Toledo (Oeste do Paraná) e terminei de ler a pouco tempo atrás o livro “A Batalha do Apocalipse”, ele é bem fantasioso e fala sobre anjos e demônios (é um tema que me chama muito a atenção e me agrada muito), eu usei esse livro como “chiclete”, baseio minha vida somente na Bíblia e em livros como os do Bispo Edir ou da dona Cristiane, assim que terminei de o ler comecei a ler outros livros do Bispo (já que eu já li muitos, então procurei variar um pouco) e logo quero ler o próximo livros do autor de A Batalha do Apocalipse, chama-se Filhos do Éden, não levo esses livros nada a sério mas a senhora acha mal eu ler esses estilos de livros? São todos de ficção, porém usam sempre algo da Bíblia, enfim, o que a senhora me aconselha?

    • Oi, Patrick!

      Sinceramente, eu não li todo o “A Batalha do Apocalipse”, mas no pouco que li, vi alguns veneninhos, não sei se voluntários ou involuntários. Um pequeno exemplo: no livro, Deus está dormindo há milênios, estamos em um sábado eterno. Isso pode não fazer nem cócegas na minha fé ou na sua, mas sei que pode ter um impacto negativo na fé daqueles que estão fracos ou longe de Deus (e que podem ver algum sentido nessa afirmação ou em outras da mitologia do livro) e me incomoda dar meu tempo para algo que tem veneno suficiente para trazer dúvidas a alguém com relação a Deus, o mostrando como ausente e impotente.

      Minha opinião: Não há problema em ler uma história de zumbis, pois zumbis não existem. Não há problema em ler uma história de vampiros, pois vampiros não existem. São mundos fantásticos distantes da realidade, muito mais fácil de mastigar como chiclete. Mas anjos e demônios existem, e a linha entre realidade e ficção fica bem tênue, principalmente quando inseridos em contextos Bíblicos. Pode atrapalhar a compreensão da verdadeira batalha espiritual, já que é um assunto com o qual lidamos diariamente. Eu vejo mais como uma literatura potencialmente envenenada ou como um chiclete que pode causar muito mais cárie do que o normal (chiclete envenenado também faz mal…rs…), mas a única pessoa que pode dizer se isso vai ser perigoso para você é Deus. Fale com Ele, disposto a sacrificar essa temática, se for necessário, e você terá certeza do que fazer.

      Grande abraço!

      PS: E uma ficção com esse tema, algo como Este Mundo Tenebroso, mas dentro da visão da IURD, do que a gente sabe que é a guerra espiritual, te interessaria?

      • Maura Olivera

        Perdón Sra, pero su posdata no la entendí.
        Me moría de ganas de leer Este Mundo Tenebroso (de Lewis, ¿no?), pero no estaba segura de si era literatura conveniente, a pesar de que el autor es fantástico (en mi opinión. He leído varias cosas de él, y algunos, espero incluso leerlos a mis hijos, si los tengo algún día)
        ¿Es un buena literatura para leer?

      • Maura “Este Mundo Tenebroso” é um livro cristão, mas não é da IURD, então o entendimento do autor difere em alguns pontos, mas não posso entrar em detalhes sobre ser ou não uma boa leitura, nem sobre os pontos de divergência, porque realmente não me lembro de quase nada do livro.

        Já faz muito tempo que li, então não posso te dizer se o que está ali corresponde à realidade ou não (e não me lembro sequer se o livro é bom! Só o “Este Mundo Tenebroso II” que eu me lembro de não ter gostado, mas não sei mais dizer o porquê).

        Dos poucos títulos deste autor traduzidos para o português, gostei de “O Pacto”, que resenhei aqui. É bem mais sutil, por isso, tem menos risco de errar.

      • Maura Olivera

        Yo leí algunos librs de Lewis hasta ahora, y me gustaron muchísimo, pero esta trilogía del Mundo Tenebroso no sé por qué no me cierra… Por eso no la leí.
        De todas maneras, y saliendo un poco del tema, hay uno de los tres libros que tiene un nombre muy interesante, y acá viene mi comentario: a veces uno encuentra títulos geniales, que merecían una historia mejor.
        Bueno, la primera vez que formulé esa opinión =) fue cuando leí un cuento de García Márquez en el colegio, y era bastante fuerte. Entonces pensé: “Este título es genial para una novela, lástima que el cuento lo arruine”.
        =)

        Saludos!

        Maura Olivera

        P/D: Sra, siempre busco leer sus respuestas a mis comentarios, pero no siempre las contesto. Pero sí quería que supiera eso, que sí las leo =), y valoro mucho que se tome el tiempo de contestarme. ¡Obrigada!

  • Aniele Carlos

    Olá,
    Amo a literatura e realmente tem bastante “porcaria” nas prateleiras geralmente compro ou pelo autor, indicação de amigos que tenham lido ou pela orelha, mais realmente é perigoso, uma vez comprei um que me indicaram mas quando comecei a ler percebi que o conteúdo me faria mal, então preferi não arriscar interrompi a leitura e não recomendo.

  • Fatima Mendes

    It’s true Mrs Cris. Oque a Vanessa escreveu, precisamos sim ser mais seletivas, também neste aspecto que ao meu ver de suma importância pois na a nossa mente está ocomando.

  • Luana

    Eu não leio livros evangélicos q não seja da igreja ou recomendados por alguém da mesma, não dá para arriscar. Muito bom esse texto.