Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

Dízimos e Casamento

Do ponto de vista da fé natural, os dízimos não têm nada a ver com o casamento.

Porém, do ponto de vista bíblico ou da fé sobrenatural, os dois caminham juntos.

Os dízimos são o princípio do relacionamento com Deus.

São as primícias, primeiros frutos ou primeiro de tudo na vida colocados no altar como reconhecimento da soberania do Senhor Jesus em nossa vida.

São o sinal da aliança, pacto ou casamento com Ele.

Aliança no dedo simboliza compromisso assumido com alguém. Da mesma forma, os dízimos simbolizam compromisso com Deus e tipificam Jesus, Mediador da Nova Aliança entre o Criador e a criatura. Hebreus 9.15; 12.24.

O dizimista torna-se o próprio dízimo da mesma forma como Jesus foi o Dízimo de Deus para a humanidade. Jeremias 2.3

Dízimos e ofertas foram a condição imposta para os filhos de Jacó retornarem para Deus.

…tornai-vos para Mim, e Eu Me tornarei para vós, diz o Senhor dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar? Roubará o homem a Deus? Todavia vós Me roubais, e dizeis: Em que Te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a Mim Me roubais, sim, toda esta nação. Malaquias 3.7-9

Os dízimos estabelecem parceria com o Senhor dos Exércitos.

Além disso, o dizimista prova para si, para o mundo e para o autor da maldição que sua Fé no Deus Vivo não é uma farsa.

Não tem jeito, quem quiser o Selo de Deus, o Penhor do Espírito, a Paz, a Alegria, o Amor e a Vida tem de aliar-se com o Altíssimo Deus de Abraão, a partir da fidelidade nos dízimos.

Do contrário, vai continuar vivendo por viver, de forma medíocre.

Bispo Edir Macedo
Bispo Edir Macedo

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: