Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

Pesado foste na balança, e foste achado em falta. Daniel 5.27

No comércio em geral, é conhecida a importância de uma balança para a pesagem de vários tipos de materiais, desde os mais leves aos mais pesados.

Ela tem que ser precisa, para garantir que o consumidor pague o preço justo e não seja enganado. Aliás, essa foi uma das ordenanças do Próprio Deus para o Seu povo, para que não houvesse injustiça no meio dele.

Balanças justas, pesos justos, efa justo, e justo him tereis… Levítico 19.36

Belsazar foi o homem para o qual Deus se referiu como aquele que foi pesado em Sua balança de Justiça, e encontrado em falta. Este rei, segundo sua estimativa pessoal, estava aprovado pelos seus súditos, afinal, ocupou o trono que pertenceu ao grande Nabucodonosor.

Mas, aos olhos de Deus, Belsazar estava reprovado e prestes a perder o seu reino e a vida. Dentre os seus muitos pecados, estava o seu orgulho e a falta de temor ao profanar os utensílios sagrados do Templo.

Além de ele servir bebidas aos seus convidados nos vasos de ouro que haviam sido consagrados ao Altíssimo, o rei ainda fez com eles homenagem aos seus ídolos.

Isso para Deus foi a gota d’água que fez transbordar o copo de injustiças cometidas por Belsazar.

Aprendemos com isso que o mundo vê apenas ações, mas Deus pesa intenções, ou seja, Ele vê o que há por trás de cada atitude do ser humano.

Por isso, podemos entender que o Altar é o maior emblema da Justiça de Deus, pois, como uma balança justa, ele pesa com precisão pensamentos, sentimentos, caráter e motivações.

Enquanto alguns veem o que é colocado sobre o Altar, apenas como valores monetários, nele, Deus pesa a alma humana.

Quando se fala de sacrifício, se fala de uma entrega total da vida. Se houver sinceridade ou hipocrisia nessa entrega, o Altar vai dizer! Ele é a balança mais precisa que existe, pois revela com exatidão o que somos, e o tipo de fé que temos diante de Deus.

Não se brinca com o Altar! Ele é o lugar onde se manifesta a Justiça Divina para quem é verdadeiro. Mas, para quem o despreza, será um lugar de reprovação.

Que, ao nos aproximarmos do Altar, possamos falar com a consciência tranquila, o mesmo que disse Jó:

Pese-me em balanças fiéis, e saberá Deus a minha sinceridade. Jó 31.6

Bispo Domingos Siqueira
Colaborou: Bispo Domingos Siqueira

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: