Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

O Colo do Altíssimo

Não há outra palavra mais apropriada para exprimir a grandeza do Local de Encontro com o Todo-Poderoso Deus de Abraão quanto a palavra ALTAR.

Deus não criou o Altar para servir de palco de shows de música gospel ou coral;
Não criou o Altar para servir de palanque político;
Não criou o Altar para que o povo exaltasse os homens que fazem uso dele na pregação;
Também não criou o Altar para transmitir sentimentos ou fé emotiva;
Não, mil vezes, não!

O Altar foi criado para o sacrifício.

Sim, foi criado exclusivamente para que o ofertante viesse resolver seu maior problema com Deus: retornar para Ele.

Sempre que o Altíssimo Se revelava aos patriarcas, profetas e servos, imediatamente eles eram impelidos a erguer um Altar e sacrificavam.

Após o sonho maravilhoso, Jacó tomou a pedra que servira como travesseiro, erigiu um Altar e sobre ele sacrificou o azeite que lhe restava no deserto. Em seguida, fez o seu voto de fé. (Gênesis 28)

Portanto, o Altar é o Lugar de Encontro com Deus, de entrega incondicional, de sacrifício…

Ele foi criado para receber ofertas representativas dos que estão dispostos a obedecer.

Santas e puras ofertas, símbolos do Primogênito de Deus, Jesus.

O Altar é a habitação de Deus na Terra.

A pessoa rendida em sacrifício no Altar torna-se o Altar móvel do Espírito Santo.

Como o Altar representa Deus na Terra, a oferta representa a vida do ofertante no Altar.

Assim sendo, o Altar torna-se o Colo de Deus para o ofertante fiel.

Só o Altar tem autoridade para santificar a oferta e validar a presença do ofertante diante do Altíssimo.

Por outro lado, se a oferta é imunda, o ofertante não é aceito diante de Deus.

O Senhor Jesus considera cegos os que têm valorizado mais a oferta do que o Altar, mais o ouro do que o Altar que santifica o ouro.

Por que eles são assim? Porque são carnais. Seus olhos são maliciosos e só conseguem ver a oferta como valores econômicos. Não conseguem discernir os valores espirituais porque o deus deste mundo os têm mantido cegos.

E se não conseguem ver as ofertas como símbolos da própria vida no Altar, como verão o Altar como símbolo de Deus?

Por isso o Senhor Jesus os chama de hipócritas e cegos.

Cegos! Pois qual é maior: a oferta ou o Altar que santifica a oferta? Mateus 23.19

Leia mais:

– 1º Dia do Jejum de Daniel
– 2º Dia do Jejum de Daniel
– 3º Dia do Jejum de Daniel
– 4º Dia do Jejum de Daniel
– 5º Dia do Jejum de Daniel
– 6º Dia do Jejum de Daniel
– 7º Dia do Jejum de Daniel
– 8º Dia do Jejum de Daniel
– 9º Dia do Jejum de Daniel
– 10º Dia do Jejum de Daniel
– 11º Dia do Jejum de Daniel
– 12º Dia do Jejum de Daniel
– 13º Dia do Jejum de Daniel
– 14º Dia do Jejum de Daniel
– 15º Dia do Jejum de Daniel
– 16º Dia do Jejum de Daniel
– 17º Dia do Jejum de Daniel
– 18º Dia do Jejum de Daniel
– 19º Dia do Jejum de Daniel
– 20º Dia do Jejum de Daniel

Bispo Edir Macedo
Bispo Edir Macedo

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: