Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

Templo Maior transforma Curitiba

A capital do estado do Paraná, Curitiba, é uma das inúmeras cidades em que a Universal atua para levar aos sofridos uma palavra de fé e salvação. No final de 1980, a Igreja inaugurou seu primeiro templo na cidade, que funcionava na rua Doutor Muricy, no centro da capital. De lá para cá, a Universal cresceu. E o trabalho não parou. Prova disso é a construção da nova catedral, com uma ampla e moderna estrutura, que tem inauguração prevista para dezembro deste ano. As obras começaram em setembro de 2014, em uma das principais avenidas da cidade, a Presidente Getúlio Vargas, no bairro Rebouças, região central de Curitiba.

Os benefícios proporcionados pelo projeto estão muito além da beleza e do conforto oferecidos. Exemplo disso é que a construção, desde o seu início, gerou muitos empregos. Ao todo, foram 905 trabalhadores envolvidos diretamente na obra, além de outros 6 mil envolvidos indiretamente.

Agora, com o término das obras, estima-se a contratação de aproximadamente 135 funcionários para a formação da equipe de trabalho nos mais diversos setores: TV, rádio, segurança do trabalho, limpeza e manutenção, entre outros.

Modernidade

O Templo Maior também atende requisitos de sustentabilidade. O local conta com dois grandes painéis de divisórias retráteis, que separam as poltronas em três blocos, para que os gastos com luz e ar-condicionado sejam reduzidos.

No fundo do altar haverá uma réplica menor da Arca da Aliança, como a do Templo de Salomão, que será instalada próxima ao batistério. Uma central de água quente composta de placas de aquecimento solar foi construída para o reaproveitamento da água quente do sistema de ar-condicionado e da instalação de gás.

Também está prevista a reutilização da água proveniente das chuvas, para a irrigação dos jardins e atendimento aos banheiros públicos, o que vai gerar economia e benefícios ao meio ambiente.

A Universal também se preocupou em seguir rigorosamente as leis, os regulamentos e as exigências administrativas exigidas pelo município de Curitiba, para atender as compensações necessárias às intervenções ambientais locais. Dentre elas, estão a execução e conclusão das obras de revitalização das praças Ryu Mizun e Professora Hildegard Schmah, além da revitalização do Bosque Martin Luthero. Essas transformações vão tornar a área ainda mais revitalizada e desenvolvida, além de valorizar o metro quadrado do bairro, que era considerado perigoso pelos altos índices de assaltos.

História
No início da década de 1970, o bairro Rebouças passou a ser considerado uma área industrial por causa do número expressivo de empresas. Com o fechamento de muitas delas, essa realidade mudou. É o que conta o comerciante José Amaral, de 63 anos, que tem uma banca de jornal e de doces ali há 25 anos. “Quando as fábricas saíram da região, as vendas caíram muito. O local ficou abandonado e perigoso. Eu já fui assaltado várias vezes. A nossa esperança é de que depois da inauguração da Igreja as coisas mudem, pois teremos mais pessoas circulando. O bairro ficará mais seguro. Estou esperando a inauguração para expandir o meu negócio. Todos os imóveis foram alugados e comprados por comerciantes visando o fluxo que haverá daqui em diante. Para mim, essa construção deu vida para o bairro e trouxe benefícios para todos.”

Roberto Damasceno, engenheiro-coordenador, falou sobre o impacto da obra. “Pela grandiosidade e sua arquitetura, a obra trouxe revitalização para a área. Escolhemos o local porque ele está próximo da antiga catedral. Além disso, somente essa área comportaria o projeto que tínhamos em mente.”

Para o montador Flávio Rogério Pereira, de 32 anos, que trabalha há 13 anos nessa função, é um privilégio fazer parte da construção. “Eu já passei por várias catedrais montando poltronas. Essa é totalmente diferente de todas pelas quais já passei. A estrutura é impecável”, afirma.

O bispo Sidnei Marques, que ainda na juventude conheceu o trabalho da Universal em Curitiba e teve sua vida transformada pela fé, é o atual responsável pelo trabalho no Estado do Paraná. Ele relata a importância dessa obra para a população local. “A estrutura desse Templo Maior em Curitiba é grande e magnífica e chama atenção de todos que passam por ele. Tenho certeza de que acontecerão coisas grandes e extraordinárias na vida de todos que entrarem por essas portas. Milhares de almas serão salvas.”

Estrutura em números
Valor da obra: R$ 470 milhões
Altura: 35 metros, o equivalente a de um prédio de nove andares
Área construída: 41.407 m²
Área do terreno: 16.318 m²
Profissionais: quase 7 mil pessoas envolvidas direta e indiretamente
Frequentadores: estima-se que 140 mil pessoas passarão por mês pelo Cenáculo
Capacidade: 5.200 lugares
TV: dois estúdios
Rádio: quatro estúdios
Estacionamento: 650 vagas
Banheiro: 70 boxes
Escola Bíblica Infantil: são 16 salas que comportam 25 crianças, incluindo berçário
e maternal
Além do Cenáculo, uma nave auxiliar está sendo construída para comportar os projetos sociais da Universal e as salas para reuniões. E mais um anexo de estacionamento com 200 vagas.

Por Maiara Máximo

Bispo Edir Macedo
Bispo Edir Macedo

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: