17


Como pai e conselheiro de pais, tenho observado as muitas maneiras em que temos impedido o progresso e maturidade dos nossos filhos. E uma delas é quando tentamos salvá-los cada vez que se metem em problemas.
Um pai que eu estava aconselhando recentemente estava tendo um problema com a sua filha de 24 anos. Ela ainda vive com a mãe, recusa-se a procurar trabalho, não quer terminar os estudos – basicamente vive ás custas da mãe, que trabalha bastante e mal consegue pagar as contas de casa. Além de ainda viver com a mãe e não querer ajudar com as contas, quer que a mãe lhe dê dinheiro para cigarros, bebida, e quando sai com seus amigos.
De vez em quando, sua filha se mete em problemas — ou porque precisa de dinheiro para alguma coisa e não o tem, ou porque pediu dinheiro emprestado de alguém e agora está sob pressão para pagar de volta. Seja qual for o caso, o que normalmente acontece é que ela corre para a mãe e diz: “Preciso de dinheiro para…” Daí sua mãe, entre choros e sermões, termina sempre por socorrê-la. Esse é o tipo de mãe e pai que eu chamo de “salvadores” de seus filhos. Eles pensam que se não livrar o filho dos problemas, algo terrível poderá lhe acontecer.
Todo o pai têm um instinto de salvador. É muito natural querer que seu filho esteja bem e seguro. A diferença é que os bons pais aprendem a não livrar seus filhos de toda e qualquer enrascada em que eles se metem. Eles entendem que uma das lições de vida mais eficazes que podem dar a seus filhos é deixá-los fracassar e enfrentar as consequências de seus atos de vez em quando.
Se você tem cometido este erro, desista de ser o salvador de seus filhos. O seu papel é ensiná-los o que é certo, e você mesmo viver o que você ensina (dar o exemplo). E o papel deles é segui-lo, para o próprio bem deles.


E se não o fazem, deixe que a vida lhes ensine a lição que eles não quiseram aprender de você.

Toda disciplina, com efeito, no momento não parece ser motivo de alegria, mas de tristeza; ao depois, entretanto, produz fruto pacífico aos que têm sido por ela exercitados. (Hebreus 12.11)


Leia esta mensagem em inglês

Compartilhe!


Envie para um amigo por :

16 Comentarios em “É você quem vai salvar seu filho?”

  1. boa tarde e quando o filho precisa das coisas como pagar ontas etc… porque os pais nao da o sustento necessario para os filho e o filho n consegue trabalhar por causa da serie mesmo sendo maior e filhos de pais separado nesse caso ele esta certo ou errado como pai ou eu como fiha

  2. Interessante essa mensagem! Ela retrata muito bem o que a maioria dos pais fazem hoje para “salvar” seus filhos das agonias mundanas.
    O problema é que a super proteção, a falta de diálogo,a falta de limites e imposição de regras geram conflitos entre todos da família.
    Por isso a importância do respeito entre todos, mãe e pai devem entrar em acordo na tomada de decisões para com seus filhos, quando não há essa simbiose, um acaba tirando a autoridade sobre seus filhos, os quais aproveitam-se disso para continuar a praticar seus “errinhos.”

  3. Marina - Recife 4 years atras

    olá bispo, nos ultimos dias tenho lido e relido as
    mensagens postadas pelo senhor a respeito de filhos. Sou mãe de um
    menininho de apenas 3 anos o (Vitor), concordo com seus
    ensinamentos a respeito de filhos! Eu sou do tipo de mãe que nem
    quando ele cai no chão, eu não vou levantar, para que ele aprenda a
    si virar sozinho! Mostro o caminho, se quiser seguir siga, porém se
    não quiser arque com as consequências! Sei que parece até que não
    ligo, mas se pararmos pra pensar o amor de Deus é mesmo assim, Deus
    sempre nós mostras as opcões, quem quiser que ouça sua voz e
    siga-O.

  4. Ana Paula Aguiar 4 years atras

    Olá,bispo.Tenho um filho que hoje está com 17 anos.Ele sempre foi excelente aluno e só tirava notas altas.Aos 15 anos começou a ficar relaxado com os estudos e só queria saber de brincadeiras,como resultado ficou reprovado.Ficamos arrasados,os dois.Eu mais por vê-lo sofrer.Mas Deus falou comigo que,que estava acontecendo era importante e seria bom para ele.Dito e feito,hoje ele esta mais responsavel e maduro.Deus sempre está certo,mas precisamos ouvi-lo.

  5. vanessa soares 4 years atras

    olá bispo é a mais pura realidade, meus pais sempre tentaram me proteger, mas meu pai sempre seguia sendo um mal exemplo para mim e minha irmã, eles brigavam muito e meu pai sempre com amantes. eu mesmo tendo uma boa educação, era uma jovem revoltada e problemática devido a todos esses mal exemplos. hoje não, hoje estamos na presença de Deus. mas tudo que é demais não é bom.

  6. Bianca Amorim 5 years atras

    Isso é verdade, bispo. O meu irmão também é assim, meus pais já não sabem o que fazer para mudar esta situação. Ele irá fazer, em maio, 18 anos e não quer nem estudare nem trabalhar.

  7. keli cristina 5 years atras

    é verdade muitas das vazes queremos tomar as responsabilidades dos filhos quando pequenos devemos ensinar a te suas próprias responsabilidades e aprender a resolver seus problemas claro se precisarem não viraremos as costas mas sempre no nosso limite assim como temos nossas vidas eles tbm precisam ter a deles

  8. Nossa já fui muito assim e tenho péssimas lembranças pois até hoje tenho q me reparar.

  9. Realmente é muito doloroso, castigar e até mesmo usar a famosa “varinha” mas este mundo só ajuda a passar coisas erradas a eles, mas é mais fácil repreender agora do que chorar, por ser tarde demais.

  10. maria elza vl mariana 5 years atras

    É doloroso agir assim, mas deixemos a emoçao e vamos para a razão, a criação inteligente dos filhos, e não a criação sentimento.É doloroso mas perfeitamente possivel. Deixa filho se virar sozinho, claro sempre com bom senso e reponsabilidade.É errando que se aprende, é caindo que se levanta, e enfrentando os desafios e obstáculos que amadurecemos, a nós pais e aos filhos especeificamente.Agora o pai e mãe tem dar exemplos, aquela história que diz “Faça o que eu falo e não faça o que eu faço” Não funciona há muito tempo, aliás nunca funcionou.É como senhor falou na reunião, passada, se educa filhos é com exemplos, e estes exemplos se estende para o trabalho,na escola, com os colegas na familia, enfim, o paie mãe precisam ter moral para cobrar algo,do contrário, não vai funcionar.

  11. ana paula 5 years atras

    Bispo o senhor poderia nos ensinar mais ainda como educar os nossos filhos, coisa que devo fazer, quando tomar atitudes e outras coisas..

  12. Samir mahomed 5 years atras

    Acho que nos filhos tam em nao temos culpa.nos tambem sofremos bastante

  13. Débora Batista Assunção 6 years atras

    >Boa Tarde Bispo,Os pais tentarem poupar os filhos de consequências de seus problemas é um erro, vou dar-lhe o testemunho de um dos meus irmãos: Certa vez o mesmo foi pego pichando muros e o dono da residência o entregou a polícia.Na mesma hora por ser de menor idade o meu pai foi chamado para soltá-lo, mas não foi, deixou ele passar a noite na sela de uma delegacia para saber e sentir como eram tratados os infratores da lei, resultado: nunca mais ele fez a mesma coisa. Ás vezes as consequências de atitudes erradas ensinam melhor do que qualquer sermão ou disciplina.Eu mesma uma vez tomei uma atitude sem pensar e na emoção orientada por conselhos de outra pessoa, o resultado foi que fui processada, e então aprendi a nunca mais tomar atitudes por conselhos dos outros embora sendo pessoas que eu julgue de confiança, procuro analisar, pensar e agir com inteligência e por mim mesmo , a verdade é que as consequências nos ensinam lições e aqueles que são sábios ou inteligentes aprendem e nem precisam passar por essas situações.Um abraço!!!

  14. pr.silasfreitas 6 years atras

    >As vezes somos corrigidos pelo SENHOR. Assim como um pai corrige a seu filho.(Hebreus.12:5-11)…e o bom de tudo isso, é saber te temos um Deus que nos ama. pr. silas freitas. Timbaúba-PE.

  15. Universo Artesanal 6 years atras

    >Bispo esta mensagem é a minha realidadecom meu filho unico, de trinta anose na verdade não o estou salvandoe sim o prejudicando até mesmo intercedendo por êle em minhas orações para abençoa-lo e nâo deixando Deus agir para que o mesmo venha crescer em todos os sentidos,Deus o abençõe muito,já pela manhâ neste inicio deste jejum meus olhos se abrem.

  16. >tudo isso é verdade,mas doi e dificilmente recusaremos à ajuda-lo,geralmente agimos pelo instinto materno e nao pela razão pelo receio de sermos acometidas de insensivel.Ja quando se esta na presença de Deus e temos comunhão com ELE é diferente, buscamos ajuda nele e seguimos asua direção, com oração sacrificio e atitude.Sua mensagem foi de alta ajuda.