Blog

Eu estou para escrever esse post há um tempão, e não é só para dizer que tenho me deliciado com as novelas bíblicas da Record TV, mas também porque gosto muito do mesclado de entretenimento com espiritualidade. Em meio a tanto drama, aprender sobre comportamento e fé ao mesmo tempo é, no mínimo, inovador!

É por isso que hoje eu gostaria de começar uma série aqui no blog para falar sobre a novela do momento: O Rico e Lázaro. Não sei se acontece com você também, mas eu fico doida para encontrar com as minhas amigas e falar do capítulo anterior, e já que tem sido difícil nos encontrarmos, eu acabo guardando tudo dentro de mim até não aguentar mais e fazer o que estou fazendo hoje: compartilhar com as amigas virtuais. 🙂

É sério, toda vez que termina um capítulo eu fico com gostinho de quero mais… tá muito boa essa novela! Então pensei, e se eu escrevesse a respeito do que mais me chamou atenção na semana no meu blog? Será que dou conta? Dá até medo de me comprometer… mas se não der toda semana, pelo menos vai dar quando der, kkkkkk!

Hoje quero começar então falando da personagem Joana, muito bem representada pela atriz Milena Toscano. Ela é fictícia, não está na Bíblia, mas ela representa muitas jovens que já existiram e existem até hoje: a batalhadora.

Joana perdeu os pais quando ainda era uma adolescente e, desde então, vive só no mundo. Ela até mora com uma família super agradável e da fé, o Sr. Ravina, sua esposa Ilana, os filhos Matias, Rebeca e Dana, e o avô Zadoque, mas ainda assim, é só, pois passa por lutas muito pessoais…

Primeiramente, sua fé não é correspondida pelo seu noivo Asher e isso tem dificultado a relação deles. Enquanto Joana tenta ajudá-lo a vencer suas mágoas contra os babilônicos que causaram a morte de seu irmão, ela procura ajudá-lo a superar as injustiças que passa por ter de trabalhar como escravo para pagar a dívida de seu pai.

Como se isso não bastasse, Joana é odiada pelo sacerdote Fassur, que vê nela “uma sementinha do mal”. No fundo, o sacerdote é obcecado com Joana e por não poder tê-la, quer fazer mal a ela. Ele é um homem hipócrita que diz servir a Deus.

Joana representa todas as jovens que estão sós nesse mundo, são perseguidas pela sua conduta diferenciada, e mal interpretadas por suas convicções de fé. Gosto muito dessa personagem, pois mesmo estando vulnerável diante das circunstâncias da vida, se fortalece na sua fé diariamente e, por isso, é tão admirada.

Ela é linda, mas não é fútil. Tem uma vida difícil, mas não se permite ser vítima. Ela vai à luta, trabalha, procura ajudar a família com quem mora, mesmo que eles nem precisem disso. E o mais admirável é sua postura diante de seu noivo: para casar comigo, tem de ser de Deus.

A história ainda vai se desenrolar e eu não quero dar nenhum spoiler aqui, mas vão se preparando, meninas: Joana ainda vai sofrer muito, mas nem por isso vai deixar de ser essa jovem mulher de Deus!

Na fé.

 

A novela “O Rico e Lázaro” vai ao ar de segunda à sexta às 20h45 na Record TV. E caso você não consiga assistir nesse horário, assine o R7 Play – todos os capítulos são colocados lá diariamente.

Colaborou: Cristiane Cardoso

Participe! Deixe seu comentário sobre este post