Blog

Eu fiquei um dia e meio no hospital, a menina morreu algumas horas antes de eu receber alta. No momento de sua morte os demônios vieram buscar sua alma… eu vi ! É horrível ! Vi o desespero da sua alma ! Vi o desespero !

Antes da sua morte olhei para ela, estava na cama colocada em  frente a minha. Ela era muito magra, careca e com os olhos fundos e roxos. A pele parecia verde, eu conseguia contar os ossos dela. As mãos eram muito feias, lembrei de uma caveira. A boca dela estava com muitas feridas. Ela sentia fortíssimas dores, a enfermeira toda hora aplicava morfina na menina. A dor passava por um tempo e depois voltava.Ela queria chamar a mãe mas não dava mais tempo! Eles a levaram! Eles a levaram! Os demônios a levaram.

Minha mãe estava do meu lado e eu nem falava com ela. Queria tomar um banho, mas ainda não podia me mexer.

Olhei para ela e chorei, eu não podia falar nada, como poderia explicar tudo aquilo? Minha mãe me abraçou e me abençoou…

Fiquei com a expressão da menina morta em minha mente. Uma garota de uns 23 anos, pele e osso, o rosto muito enrugado, as mãos horrorosas. O gemido de dor, a boca toda cheia de feridas e o desespero por estar sendo levada pelos demônios… A mãe chorando em cima do corpo da filha morta… será que minha mãe vai estar no lugar dessa mãe daqui alguns dias? Será que eu vou acabar assim?

Colocaram um lençol branco em cima dela e a levaram para o necrotério. Alguém ia fazer a tal autópsia. Acho que nem precisava, o câncer comeu o corpo todo dela, era só escrever isso.

Meu médico chegou e me deu um sorriso, disse que correu tudo bem na cirurgia, mas que eu deveria começar uma quimioterapia. Assinou um papel e me deu alta.

Meu pai foi nos buscar, eu e minha mãe. Com muita calma desci da cama, minha mãe trouxe um vestidinho bem solto para eu usar, um chinelo de borracha bem leve. Penteou o meu cabelo e fez um rabo de cavalo. Ela segurou no meu braço direito para que eu não caísse. Meu pai levou a sacola com minhas outras roupas.

Entrei no carro, fui na frente, minha mãe sentou-se atrás. No caminho meu pai fazia algumas brincadeiras para ver se eu me alegrava, mas não consegui esboçar nenhum sorriso. Fiquei olhando a paisagem e sentindo a dor na minha alma. Porque será que fiquei desse jeito?

Chegando em casa fui para meu quarto. Minha cama estava arrumada, com dois travesseiros grandes e muito gostosos, um edredom macio e aconchegante. Me deitei, minha mãe ajeitou minhas costas no colchão. A Bá, era uma ajudante que estava conosco desde que eu tinha cinco anos de idade. Ela fez uma sopa de mandioquinha para mim. Bateu no liquidificador e não colocou muito sal. Bá veio pessoalmente colocar a sopa em minha boca. Ela é muito engraçada, fazia aviãozinho para eu comer. Eu ria com isso. Estava sendo tratada como rainha por eles, mas dentro de mim havia um vazio imenso. Não sei o que era, nunca senti isso antes. Um abismo estava dentro do meu peito. Uma vontade de morrer mas ao mesmo tempo não sabia para onde minha alma iria. Mesmo eu tendo aprontado todas, minha mãe me amava, mas será que Deus me amava? Será que Ele se lembrava de mim? Essa dúvida estava dentro do meu coração o tempo todo. Uma voz dizia que eu não tinha mais salvação, que eu estava perdida em meus pecados, que eu não era digna da misericórdia Dele e que não adiantava orar, porque Ele não iria me ouvir… desespero….

Minha mãe chegou perto de mim e passou a mão em minha tatuagem, olhou para ela por alguns segundos. Pensei que iria me dar uma bronca, mas não… balançou a cabeça em sinal negativo e esboçou um sorriso. Não entendi.

Na semana seguinte comecei a químio. Uma sala com um aparelho estranho, um saquinho de soro com os remédios. Começou o tratamento… minha boca ficou seca, parecia que ia rachar. Senti um desconforto insuportável. Uma sensação horrorosa, nem conseguia falar, eu poderia beber toda água do mundo que a secura em minha boca não passava. Tive muita náusea, quando eu saí me receitaram outro remédio para tomar caso o enjoo continuasse. Meu pai passou na farmácia para comprar, eu não queria ficar no carro queria ir embora, estava muito mal, me sentia péssima.

Quando cheguei em casa não resisti e vomitei muito…muito mesmo… meu estomago doía, minhas costas também, não aguentava mais fazer força de tanto vomitar. Uma sensação de morte, quero minha cura! Pelo amor de Deus quero minha cura!.

Dois dias passando horrivelmente mal. Minha mãe ao meu lado sofrendo junto. Voltei a falar com ela. Bá fazia sucos, eu não conseguia tomar, não tinha fome.

Meu pai ligou para o médico e ele disse que era assim mesmo. Pediu para eu comer em pouca quantidade mas várias vezes durante o dia. A comida não descia em minha garganta. Tinha nojo dela. Nem água me sentia bem em beber, comecei a morrer vagarosamente…

Capitulo 10

Méuri Luiza

Colaborou: Meuri Luiza

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • Aline

    Dona Méuri, que triste história…. Desejo muito que o final da Marina seja feliz, que ela finalmente caia em si e perceba o quão tola foi em deixar se levar pelos sentimentos, malditos sentimentos!!!
    Minha irmã está passando por uma situação parecida, pela misericórdia de Deus ela está voltando aos poucos à Igreja.
    Dei o livro “A Mulher V” pra ela, pensei que ela nem fosse ler, mas para minha surpresa ela está lendo o livro e passou a frequentar algumas reuniões!
    Eu creio que em breve ela estará de volta 100% e irá desfazer esse namoro sujo que nada tem a oferece-la.
    Que DEUS ajude à todas que se encontram nessas mesmas condições,
    Amém

    • Meuri

      Olá Aline, em nome de Jesus Deus irá falar com sua irmã e ela irá voltar para Ele. Seja abençoada.

  • Thayna

    Agora ela chegou no fundo de poço dela TOTAL..Por isso devemos sempre vigiar para nao nos afastar da presença de Deus!

  • ESSAS HISTORIAS SAO SUPREENDENTES E VOU IMPRIMIR TODOS OS CAPITULOS COMO UM LIVRO PARA MINHAS AMIGAS QUE NAO TEM ACESSO A INTERNET LER TBM….EU FIZ ISSO COM A HISTORIA DA CRISTHY E VOU FAZER COM ESSA TBM.
    A SENHORA E UMA UMA MULHER ABENÇOADA.

  • Karen FB

    Oi Dn Meuri …

    A cada dia que leio um capitulo, me desperta sempre mias a vigilância, porque vemos como o diabo age através das ilusões e duvidas que lança na mente da pessoa contra a relação dela com Deus!

  • Meuri

    o diabo não tem pressa Marcelle, ele quer apenas a alma no final de tudo.

  • Mariana Carvalho ( Ribeirão Preto - SP)

    Olá Dna Meuri, uma amiga me contou sobre a história da Marina e pediu para eu ler… Li todos os capitulo hj mto forte!! Eu sai desse mundo podre e sempre é bom ver como o desgraçado do diabo age, temos que vigiar sem cessar.

    Bjinhos, Maryh

  • Vitoria Faria

    Tenho a impressão que ela vai se voltar para Deus…
    O dedo podre do diabo acusando ela o tempo todo e a voz de Deus ali, soprando para que ela volte…
    Que desespero, a consiência acusando e ela no fundo querendo ajuda de Deus, ela sabe que só Ele pode livrar ela dos demônios, da doença, do inferno… Quanto tempo mais ela vai ficar pensando se Deus aceita ela? Meu Deus, em saber que isso esta acontecendo agora com alguém…
    Dona Méuri, vou enviar para meus contatos,
    Deus abençoe muito a senhora,
    vI

  • Aniele Carlos

    Nossa, que historia impressionante! Assim como Marina diariamente pessoas que outrora estavam na fé se perdem neste mundo e acabam caindo na armadilha de satanás.
    Temos que rever nossos conceitos para que não sejamos os próximos.

  • Marcelle Ferreira

    Bom dia dona Méuri, a cada dia que acompanho essa historia me dá ainda mais temor. Que horror meu Deus, como existem tantas pessoas morrendo vagarosamente com a Marina 🙁 por simplesmente terem se afastado de Deus. Espero que o fim da Marina seja igual ou melhor que o da Christi e o de todas as pessoas que se afastaram do Meu Senhor tambem.
    Obrigada dona Méuri, tenho aprendido muito e tenho a certeza que esse temor tem se despertado em todas as pessoas que tem lido essa história. Beijos.

  • JACI

    Tem sido muito bacana acompanhar a história!!Toda semana compartilho com as obreiras,e debatemos sobre o desenrolar da história.a gente já falou sobre a mágoa do pastor,a desilusão amorosa,o esfriamento espiritual,porque são tantas Marinas que estão á nossa volta…e o que mais o bispo tem alertado sobre vida sentimental.Espero pelo prox capitulo!!!Bjs D.Meury.

    • Meuri

      Que bom Jaci é um meio de evangelização também.

  • Dona essa menina vai começar a acordar agora… NOssa ela estava tão cega e distante de Deus que nem falou de Jesus para a menina.ao seu lado que triste!!

    • Meuri

      e temos muitos Erika que mesmo assim não acordam…

  • Lucilene Coutinho - SP

    É incrível como o mal trabalha… sem pressa nenhuma, só no sapatinho…se não vigiamos caímos em suas armadilhas…e para sair desse emaranhado de ciladas é necessário um esforço maior do que aquele que seria preciso para resistir à tais tentações. Uma história que tem me ensinado a vigiar na minha vida espiritual, olhando todos os ângulos de todas as situações para que esteja pronta para qualquer adversidade. Jesus está próximo de voltar, mais próximo do que imaginamos, todo cuidado com nossa salvação é pouco! Obrigada pelas histórias tem me ajudado muito 😀

    • Meuri

      Fico feliz em poder te ajudar Luciene.

  • LUCIA

    e cade o Filipe nessa hora hein?

    • Luiza Freire

      Ia perguntar isso mesmo!!!!!
      Na hora de prejudicar, ele está todo solícito, gentil, doce.

      Ai, no desespero, quando a vida dela está um caos, ele sai de fininho.

    • Meuri

      Você verá nos próximos capítulos o que ele aprontou…

  • Nadine Marquioli

    Dna Méuri…que historia!!E saber que tantas pessoas como a Marina estão sofrendo!!

    • Meuri

      pois é Nadine, quando a pessoa perde o temor, se afasta de Deus…

  • Amanda - IURD São Pedro

    Não vejo a hora de ver o fim dessa história!