Blog

Acordei com o telefone tocando. Era meu médico pedindo para ir até o hospital. No dia seguinte fui . Novos exames foram realizados, muitas perguntas foram feitas. Minha mãe sempre do meu lado… e eu não falava com ela.

Felipe ligava de hora em hora.

A cirurgia foi marcada para dois dias depois. Tudo muito rápido…acho que eu estava morrendo…

Na sexta-feira lá estava eu de novo dentro do hospital. Agora para a grande cirurgia. Eu até que estava com esperanças.

Uma enfermeira loira veio até mim, deu um sorriso e pediu que eu tirasse toda roupa. Me deu um roupão branco com emblema do hospital. Fui até o banheiro e me arrumei.

Dois enfermeiros me fizeram deitar em uma maca com rodinhas, colocaram uma touca em minha cabeça e uma agulha em meu braço, já me preparando para a anestesia.

Na sala tinha muitas luzes, muitos aparelhos. Meus olhos estavam doendo, o medo tomou conta do meu ser. Pra onde minha alma iria? Eu não estava preparada para morrer. Será que Deus podia ouvir a minha voz? Será que Ele se lembrava de mim? Ou nem me conhecia mais… sentia uma mistura de medo com revolta.

O anestesista chegou, estava com um touca verde e uma máscara, nem vi o rosto dele.

Muita gente na sala… meu médico mesmo não estava lá. Minha mãe ficou do lado de fora, não deixaram ela entrar. Eu estava sozinha…somente eu e meus pensamentos… acho que nem Deus estava comigo, mas eu sentia a presença dos demônios, eles estavam bem perto e queriam me devorar, só estavam esperando o momento, estava com medo de morrer, muito medo de morrer…

Um líquido foi colocado por aquela agulha que estava em meu braço. Senti ele subindo em minhas veias…o medo aumentava cada vez mais…meu coração disparou. As luzes começaram a escurecer, o sono veio e não consegui mais segurar…adormeci…

 

Sete horas se passaram e eu acordei. Eles estavam fechando a cirurgia com pontos. Senti o médico me costurando. Ponto a ponto. A anestesia havia acabado e eu acordei antes do tempo. Um alívio…estava viva. Ouvi pessoas conversando, minha mente não estava conseguindo discernir as palavras. Eu ainda estava sob efeito dos remédios, mas os demônios continuavam ali… do meu lado. Vi um como vulto preto, cheiro de podre, calor…meu coração novamente disparou. O desespero tomou conta de mim. Não conseguia falar, não conseguia gritar, meu corpo ainda não respondia, só meu coração disparava…

Um tempo depois me levaram para um quarto. Sete demônios ao redor da minha cama, eu os contei. Ainda não conseguia me mover, fiquei assim por umas quatro horas. Apenas soro era meu alimento. Eu ficava olhando o teto do quarto. Tinha algumas rachaduras, as lâmpadas eram grandes e bem claras. Uma delas estava queimada, tinha oito ao total mas somente sete estavam acessas. Eu sentia frio, uma das janelas estava aberta. Fiquei em um quarto junto com outra menina, também vítima do câncer. Ela já estava na segunda cirurgia, o mesmo caso que o meu, câncer no intestino. Eu não estava vendo ela, porque não conseguia me mexer mas sabia que estava sentindo dores. Ela gemia o tempo todo, e dizia que não aguentava mais.

Ela xingava muito, falava palavrões e estava revoltada. Vi outros demônios ao seu redor, eles riam muito e parecia que estavam esperando por sua alma. A mãe dela estava perto, sofrendo junto.

Minha mãe chegou e me deu um beijo. Passou as mãos pelos meus cabelos. Quando ela chegou perto de mim, senti paz… eles saíram, foram embora. Ela viu que eu estava com frio e fechou a janela. Tinha um cobertor aos meus pés, ela me cobriu. Consegui me aquecer.

A noite foi longa. Toda hora tinha uma enfermeira me aplicando remédio. Eu achava bom porque assim não iria sentir dor, mas ficava com a cabeça pesada e parecia que tinha um zum zum no meu ouvido, eu me sentia dopada o tempo todo, meus olhos não conseguiam fixar em nada, eu não tinha controle sob o meu corpo. O desespero começou tomar conta de mim, queria ir para casa, queria estar bem, queria somente queria, mas eu não podia… comecei a chorar, as lágrimas caíam no travesseiro e nem limpar meu rosto eu tive condições…que ponto cheguei…

Continua na próxima terça-feira

Méuri Luiza

Colaborou: Meuri Luiza

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • Luiza Freire

    Oi, Dona Meuri.
    Me vejo lendo e relendo esta história que a cada capítulo me traz mais temor pela minha salvação.
    A história da Chysti foi muito forte, mas esta querendo ou não, se eu não vigiar, pode ser realidade.

    Sou grata ao Espírito de Deus por ter livrado minha alma de muitas frustrações durante a infância, adolescência e agora na minha juventude, mas sei o quanto o diabo fica sedento por nossas almas.

    Que Deus abençoe a senhora a cada dia mais!

  • Vitória L Faria

    Oi dona Méuri,
    me lembrei de algo que ouvi: o diabo não quer só matar, ele quer humilher, pisotear a pessoa…
    Nem conseguir secar os olhos podia…

    Que bacana a parte que a mãe dela entra no quarto, naquela hora entrou a luz de Deus e os demônios foram dissipados…

    Estou aguardando a próxima,

    um beijinho com carinho, Vi
    Estou com muita saudade 🙂

  • Que alerta essa história!

  • Agora ela esta vendo o que fez da vida…

  • Thayna

    Olha e ate ali a mãe dela estava com ela..O forte é que diz que quando a mãe dela chegou os demônios foram embora,MUITO FORTE!!

  • Nós não temos noção de quantos livramentos Deus tem nos dado , o imenso cuidado que Ele tem quando damos ouvido e obedecemos a sua palavra.
    Marina é um exemplo de quem pensa que a sua felicidade era resultado
    apenas dela , e não conseguia reconhecer o carinho de Deus .
    Para mim tem sido muito forte essa historia , me colocando de alerta .
    Beijinho

  • Joyce Cardoso Lima (Planaltina-DF)

    Muito triste D.Meuri até que ponto chega uma pessoa quando esta longe de Deus.

  • Elanda Gonçalves Mariano

    Nossa só em pensar q td isso começou por uma rebeldia em não ouvir a voz de Deus falando atraves do seu servo, e uma magoa um sentimento q ela deixou entrar no seu coração, trouxe a ela resultados q pode leva-la a morte e pro inferno , olha to aprendendo muito com a historia, e se trouxermos pro dia de hj , quantas pessoas não estão mais na presença de Deus pela vida sentimental e por não obedecer . Gosto muito de ler e to amando a historia continue pois tenho certeza q muitas almas serão ganhas …Elanda do senáculo de vila das Mercês… E muito ansiosa pro proximo capitulo:)

  • Kezia

    Sabe dona, infelizmente o caso dela não é só uma histórinha, acontece todos os dias pelo Brasil afora. E o mais triste é que no caso dessas pessoas (Que conhecem a verdade mais mesmo assim se afastam dela), elas mesmas acreditam que não á mais saída do poço onde cairam, que por sinal é muito fundo.
    É muito triste saber que essas pessoas sabem de Deus, O Serviram um dia, O chamavam de Pai e por besteira se afataram.
    E o mais triste de tudo que ai pessoas que assim como sua personagem, estão na igreja desde criança. passaram suas vidas na igreja e se iludiram com o colorido desse mundo.

    Dona, mais eu acredito que Marina ainda vai dar a volta por cima e nem que seja pela dor, ela conhecerá ao Deus Vivo.

    Beijinhos 1000

    KEzia Dias Gois // Fortaleza – Ceará

  • Murielle Pinheiro

    D.Méuri, infelizmentes há muitos nessa situação, pessoas que outrara serviam a Deus que o louvava não so com palavras mais com a vida,.Por deixarem os sentimentos entrarem no seus coração,ficam segas a ponto de ficarem com magua daquele que queriam ajuda-la.
    Estou esperando o proximo capitulo, Que Deus abençoe a sr.

  • Polliane Cardoso- Planaltina - DF

    D. Méuri,
    Que triste esse conto, mas é a pura realidade. O pior é uma pessoa que já serviu ao Deus vivo passar a servir o diabo e ainda deixar de passar a eternidade com Deus, pra passar a eternidade com o diabo.
    Na fé.

  • Bellyze Farias

    Olha esta história está servindo como um grande alerta, pq o diabo chega assim como Felipe chegou de mansinho,cheio de amores para dar aparentemente perfeitinho…e Marina se deixpu levar pelo seu coração…então deu no que deu…

    Agora é lutar e colocar a cabeça para funcionar tenho certeza que uma hora a ficha dela vai cair.

    Estou louca para saber o final desta história que é a mais pura realidade.

    Bjinhos Dona Méuri =D

  • Lavínia Emanuella

    Uh, louca para o próximo capítulo! Nossa, quantas pessoas devem estar passando por isso… 🙁 D. Méuri, tem como a senhora postar mais vezes?? Não me aguento de tanta curiosidade…

  • Monique Rossetto

    Nossa D, Meuri eu sempre fico na expectativa para novos capitulos, nestas mini novelas agente consegue viver a historia da pessoa pois tem muitos detalhes, aguardando a proxima terça.
    .

  • É, ela chegou ao ponto chamado “Fundo do poço”, ela era tão abençoada, ajudava tanta gente, para gora, está nessa situação de até ver demônios, mais eu tenho a certeza que ela vai ser curada, porque ela foi pra presença de Deus pelo o amor, e agora ela vai voltar pela a dor, a glória da segunda casa será maior do que a primeira para ela. Essa história me deixa curiosa a semana inteira, fico doida pra chegar logo terça-feira e eu poder ler mais um capitulo, e o ruim de tudo é que muitas mulheres e jovens estão passando pelo o mesmo do que ela, e até mesmo ex obreiras, como ela …. Que Deus te dê muito mais inspiração e sabedoria par continuar com essa história, e poder escrever outras.
    Deus a abençoe D. Méuri ♥