Livros que não são o que parecem – A divina revelação do inferno

postado em: Blog, Dicas, Livros

89 comentários

Se a resenha anterior, da infinita série “Livros que não são o que parecem” era de uma ficção não-religiosa, a desta semana não poderia ser mais religiosa. Há algumas semanas, nossa leitora Andressa me perguntou a respeito desse livro, que ela leu quando era de outra denominação. Aproveito para usá-lo como representante de todos os outros livros contemporâneos de gente que diz que foi para o céu ou para o inferno.

Infelizmente, as igrejas evangélicas estão cheias desse espírito de adivinhação, que se faz passar pelo Espírito Santo. Eu já estive em outras denominações, conheço de perto as coisas contra as quais falo aqui e lhes garanto que se elas não fossem prejudiciais à salvação certamente nem seriam mencionadas.

A Bíblia nos fala claramente sobre o inferno. Diz que o inferno não foi feito para os seres humanos, mas para o diabo e os demônios. Depois que o homem desobedeceu a Deus e passou a seguir o diabo, suas próprias ações o levam ao inferno, a menos que se arrependa e aceite a salvação oferecida por Jesus. Jesus descreve o inferno como “fogo inextinguível, onde não lhes morre o verme, nem o fogo se apaga” (Marcos 9:45,46). Sabendo disso, nossa vontade é convencer a todos de que o inferno existe, para que eles não passem a eternidade lá, correto? O problema é quando, movidas por essa vontade, pessoas inventem “revelações” e “profecias” absurdas que descrevem viagens astrais ao céu ou ao inferno. Na verdade, a julgar pela quantidade de relatos e descrições existentes, o inferno é um destino turístico bastante requisitado.

Vamos ao livro, então. Eu tenho algumas teorias em relação a Mary Baxter, que escreveu esse livro “A divina revelação do inferno” e outras “divinas revelações”. Lendo, às vezes eu achava que ela tinha inventado tudo. Outras vezes, eu achava que ela não batia muito bem e tinha escrito o resultado de um delírio em um surto psicótico (tem essa, também, abre espaço a pessoas mentalmente desequilibradas, que alcançam o posto de “profetas” sem que ninguém lhes prove o espírito). Outras vezes, parecia que ela escreveu o resultado de uma perturbação demoníaca, do espírito que a acompanha (tipo aquela freira perturbadíssima, que teve visões da via crucis – em que Mel Gibson assumiu ter se baseado ao fazer o filme “A Paixão de Cristo”).

Talvez uma combinação das três hipóteses: Ela não bate bem, teve uma experiência sobrenatural maligna e resolveu dar uma “ajudinha” ficcional, aumentando aqui e ali. Talvez ela acredite mesmo que isso tenha acontecido. Mas uma coisa é certa: Mary Baxter nunca esteve no inferno, nunca viu Jesus, muito menos recebeu revelação alguma de Deus.

Aliás, tome muito cuidado com essa coisa de revelação, profecia, visões e sonhos. Sabe aquelas pessoas que impostam a voz e dizem: “Meu seeervo, eu sou o Senhor…” ? Então, eu não tenho nenhum receio de afirmar: não é o Senhor coisa nenhuma. Esse espírito de adivinhação tem dirigido muitas igrejas e desgraçado muitas vidas por aí através da religiosidade, e é desmascarado por seus frutos. Igrejas que estão cheias de fofocas, intrigas, ódio, hipocrisia, histeria e emocionalismos. Lembro que minha sogra contava a história de uma mulher da igreja dela, que dizia: “Não faço nada sem consultar a irmã fulana. Ela é minha guru.”

 

  “Além disso, por um período de 30 dias Jesus levou-me ao inferno. O Senhor apareceu à mim em 1976 e disse-me que eu havia sido escolhida para uma missão especial. Ele disse: “Minha filha, me manifestarei a você para que tire as pessoas da escuridão para a luz. OSenhor Deus a escolheu com o objetivo de escrever e registrar as coisas que lhe mostrarei e falarei. Vou revelar-lhe a realidade do inferno, para que muitos possam ser salvos, muitos se arrependam dos seus maus caminhos, antes que seja tarde. Sua alma será tirada do seu corpo por mim, o Senhor Jesus Cristo, e transportada ao inferno e a outros lugares que eu quero que você veja. Mostrarei também a você algumas visões do céu e outros lugares, e lhe darei muitas revelações.”

 

 Vamos por partes. Jesus esteve aqui na Terra e sabia que isso ficaria registrado em quatro livros, certo? Se era tão importante assim dar detalhes sórdidos sobre o inferno, por que Ele não o fez enquanto estava por aqui? Por que não baseou seus ensinamentos nisso? Aliás, eu considero que o que ele achava importante dizer sobre o inferno, ele disse. E o fato de não ter dito muito me mostra claramente que seu maior interesse não era ter pessoas que o seguissem por medo do inferno, mas por amor ao Reino de Deus.

O Jesus de Mary Bexter fala muito parecido com ela mesma. Eu, sinceramente, não vi grande diferença entre os dois personagens. Sem contar o apelo emocional! Não serve para ganhar almas, serve para desenvolver a fé emocional e o apego artificial a Deus por medo do inferno. Se eu fosse incrédula, teria ficado mais incrédula ainda ao ler esse livro.

Outra coisa estranha é que furou o disco do Jesus que acompanhava a mulher. “você está aqui para que o mundo saiba que o inferno é real”, “o que você está vendo é real”, “o inferno é real”,  “isso é real”, “o mundo deve saber que é real”. Pretende convencer pela repetição?

 

‘O homem continuou: “Senhor, algumas pessoas da minha família acabarão vindo para cá, porque também não se arrependerão. Por favor, Senhor, deixe-me ir dizer a eles que devem se arrepender de seus pecados enquanto eles ainda estão na terra. Não quero que eles venham para cá.” Jesus respondeu: “Eles têm pregadores, professores e pastores —todos ministrando o Evangelho. Esses falarão a eles. Eles também têm as vantagens dos modernos meios de comunicação e muitos outros meios para aprenderem de Mim. Eu enviei obreiros para que eles possam crer e serem salvos. Se eles não acreditarem no Evangelho, tampouco serão convencidos, mesmo que alguém se levante dos mortos.”

 

Opa! Plágio! Plágio! Já li isso em algum lugar…mas em vez de Jesus, era Abraão…lembra da história do rico e do Lázaro?

 

 “No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio. Então, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro que molhe em água a ponta do dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro igualmente, os males; agora, porém, aqui, ele está consolado, e tu em tormentos. E, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós.

Então replicou: Pai, eu te imploro que o mandes à minha casa paterna, porque tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de não virem também para este lugar de tormento. Respondeu Abraão: Eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. Mas ele insistiu: Não, pai Abraão, se alguém dentre os mortos for ter com eles, arrepender-se ao. Abraão, porém, lhe respondeu: Se não ouvem a Moisés e aos Profetas, tampouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos. “(Lucas 16:23-31)

 

Em vários pontos do Novo Testamento, cita-se “Moisés e os Profetas” como sinônimo de “Escrituras Sagradas” (Lucas 24:44, Atos 28:23) Ou seja, Abraão estava dizendo que se a Palavra de Deus não era suficiente, então não adiantaria mandar mais ninguém! Ao copiar esse trecho Bíblico, o Jesus de Mary Baxter se contradiz. Porque se não se convencerão mesmo que alguém se levante dos mortos, o que Mary foi fazer no inferno?

O livro segue um padrão. Cada capítulo começa descrevendo a fisicamente a parte do inferno em que ela está. Depois, uma alma específica chama-lhe a atenção. As pessoas fazem discursos no inferno, contando como foi a vida delas e como morreram. No final, ela faz um pequeno apelo ao leitor, condizente com a situação da pessoa que discursou. É tão padrão que é impossível acreditar até que tenha sido um delírio. Ela inventou, mesmo.

Para completar, o Jesus de Mary Baxter a abandona e ela é arrastada por demônios. Torturada, sente dores horríveis, como a carne sendo arrancada de seu corpo… Quando ele finalmente volta:

 

 ‘Jesus respondeu carinhosamente: “Minha filha, o inferno é real, mas você jamais poderia ter certeza plena até que você mesma o experimentasse. Agora você conhece a verdade e sabe o que é estar perdida no inferno. Agora pode falar aos outros sobre ele. Tive que deixar você passar por tudo isso, para que você viesse a conhecê-lo sem nenhuma dúvida.”‘

 

Legal ele, né? Bem, essa foi a parte que me deu vontade de mandar Mary Baxter para a sessão do descarrego:

 

 “Quando acordei no dia seguinte, estava muito doente. Durante quatro dias eu recordei os horrores do inferno com os seus tormentos. Durante a noite eu acordava gritando e dizendo que haviam vermes rastejando em mim. Fiquei com muito medo do inferno. Fiquei doente por muitos dias após ter sido largada nas mandíbulas do inferno. Tinha que dormir com a luz acesa. Precisava ter a Bíblia comigo o tempo todo e a lia constantemente. (…) Jesus dizia: “A Paz, aquieta-te” e a Paz entrava em minha alma. Mas, poucos minutos depois eu acordava gritando, histérica de medo. (…) Sentia tanto medo de voltar ao inferno, que tinha até medo algumas vezes de ter Jesus perto de mim”

 

Como se tudo isso não fosse o bastante, o livro termina com uma “visão” de um futuro muito doido, e foi a parte que me fez achar que Mary simplesmente teve uma crise psicótica. Distopia, Big Brother (livro 1984, de George Orwell) e apagador de mentes:

 

 “Quando olhava, vi um outro homem no escritório muito zangado com a besta. Ele exigiu falar com ele (a besta é um homem). Ele gritava com toda força. A besta apareceu e parecia bem educado quando disse: “Vem , posso ajudá-lo a resolver os seus problemas.”

A besta levou-o, então, para uma sala grande e pediu que se deitasse numa mesa. A mesa e a sala lembravam uma sala de emergência de hospital. Deram-lhe uma anestesia e o transportaram para uma máquina grande. A besta prendeu alguns fios na cabeça do homem e ligou a máquina. Na parte superior da máquina estavam as palavras: “Este apagador de mentes pertence a besta, 666.”

Quando o homem saiu da mesa, seus olhos tinham um olhar vazio e seus movimentos lembravam os de um zumbi num filme. Vi uma grande mancha branca no alto da sua cabeça, eu sabia que a sua mente tinha sido cirurgicamente alterada, para que deste modo ela pudesse ser controlada pela besta. A besta disse: “E agora, senhor, não está se sentindo melhor? Eu não lhe disse que cuidaria de todos os seus problemas? Eu dei-lhe uma mente nova. Não terá mais problemas nem preocupações.”

O homem não respondeu.”

 

A prova final de que Mary Baxter sem noção inventou tudo isso é o seguinte trecho, que ela escreve antes de descrever sua experiência de ser torturada pela segunda vez (ah, é, o “Jesus” a abandona pela segunda vez, sem explicação plausível):

 

 “O que você vai ler agora, o deixará assustado. Oro para que isto o assuste o suficiente para fazer de você um crente. Oro para que você se arrependa de seus pecados, a fim de que nunca venha para este lugar.”

 

Comoassim, Mary? “Oro para que isto o assuste o suficiente para fazer de você um crente”?? Então um crente nada mais é do que um incrédulo assustado? Veja o perigo de se tentar fazer a obra de Deus na força do braço.  Sinceramente, me dá vergonha alheia de quem escreve uma coisa dessas.

 

Vanessa Lampert

 

Para ler as resenhas arquivadas, Clique aqui. E para ler as recentes, clique aqui.

 

PS:  Essa resenha deu alguns filhotinhos. Tem mais um trechinho deste livro em outro texto, ainda mais absurdo e perigoso, “Pessoas não são demônios”. (Clique aqui para ler). E o texto “Sobre viagens ao inferno e ‘Profecias’ em geral” Clique aqui para ler.

 

Comentários (89)

comentar
  1. milaineDisse:

    MEU DEUS E QUANTOS CRENTES CAEM NESSA DE (IRMÃO O SENHOR TA DIZENDO).MAIS CAEM POR SEREM CURIOSOS E GOSTAREM DE EMOÇÃO…..

    Mas o justo viverá da fé; E, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Hebreus 10:38

    1 João 4:18ouvir
    No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor.

    DEPOIS QUE LI A POSTAGEM SOBRE GOSTAR DE LER ,EU LI ONTEM ESTOU BEM INTERESSADA EM LEITURA…BJS

    Deixar um comentário
  2. LuciDisse:

    Sobre isso que vc reforçou , o bispo Macedo ja vem a 35 anos explicando e ensinando e tem gente que ainda acredita nessas viagens demoníacas. Obrigado por postar!

    Deixar um comentário
  3. CarlaDisse:

    Pior é quando as pessoas socializam esses livros… Leem o besterol e passam a frente! Tenho conhecidas de outras denominações que ficam trocando “figurinhas” entre elas sobre essas coisas de revelação, profecias, hino da arpa e etc. Eu fico fora.

    Deixar um comentário
  4. kliciaDisse:

    olá Vanessa, eu soube a respeito deste livro através de uma obreira que o leu e ainda emprestou a outra obreira elas acreditam que isso seja verdade, vou falar para elas a respeito desta resenha, quando soube fiquei curiosa em ler, até porque gosto de ficção, mas agora nem vou perder meu tempo…

    Deixar um comentário
  5. BiancaDisse:

    Pena mesmo, que muitas pessoas tenham se enganado e se enganam com simples sentimentos. Isso me lembra avez que fui p/ um acampamento com evangelicos. A noite comecavam a oram e clamar por Jesus. e simplemente colocavam suas maos sempre a cabeca das pessoas e essas caiam. Se arrastejavam como cobras e outros bichos. Pois nao deixei entrar no meu coracao e nem minha irma… pq haviamos aprendido desde pequena que JESUS nao manifesta na vida das pessoas desse jeito tentaram me derrubar colocando a mao em minha cabeca, mas meu JESUS e minha fe conciente rasgou meu peito e da minha irma e gritou mas alto… E perguntava dentro de mim naquele momento e repreendendo! Todos os demonios se esconderam e fomos dormi… as mulheres no quarto das mulheres e os meninos em seus quartos separados. Havia orado pela noite, pela manha que acordei. E antes que abrisse os olhos.. uma das meninas que haviam se manifestado com aquele q dizia que era o espirito santo! Segurou no meu pe e mandou eu ir embora, porque eu estava com ELE(..a ELE mesmo o meu JESUS que me faz conciente)! E quando todos viram aquela cena. Repreendir o demonio e tive a certeza que JESUS estava comigoo. Bom! Temos que tomar cuidado com esses espiritos enganadores. Pois quando conheci meu marido, a tia dele manifestou deizendo que tinha um Homem do meu lado, p/ terminar comigo… pq esse enganador do inferno nao diz quem eh o HOMEM OU QUEM EH ELE??! PORQUE ELES TREMEM EM DIZER O NOME DE JESUS! E em lembrar que DEUS nunca me deixou, mesmo eu desobediente! DEUS nunca deixou de olhar por mim e muito menos de entregar de bandeija a minha alma… ELE tem um plano em nossas vidas e o diabo tenta cegar isso… Mas estou lutando! E irei conseguir!

    Deixar um comentário
  6. Giselle AndradeDisse:

    Estou gostando muito das resenhas de livros, com certeza nos ajudará a esclarecer pessoas que as vezes nos perguntam se são bons. No passado deixei de alertar uma pessoa de outra denominação por não conhecer o conteúdo do livro “Bom dia Espírito Santo”.

    Deixar um comentário
  7. MarlaDisse:

    D.Vanessa, adoro a senhora e seus posts.. mas as vezes são muito longos rsrsrs Eu até quero ler todo, mas nem sempre consigo rsrsrs

    DEUS LHE ABENÇÕE MAIS E MAIS!!

    Deixar um comentário
  8. Sabrina SalazarDisse:

    Estive na casa de uma amiga e vi este livro lá, pedi e ela me emprestou. Comecei a ler o livro e desisti, não quis ir até o fim, aliás acho que não fui nem até a décima página. Achei uma grande viagem da escritora e vai totalmente contra a minha fé. Quando eu fui devolver o livro e disse a ela quem não tinha lido(embora o livro estivesse um bom tempo comigo) minha amiga falou para eu levar de volta e ler, eu agradeci e disse que não, pois eu não cria no enredo do livro. Às vezes penso que não deveria agir assim, desistir de ler um livro quando mal comecei a ler, muitas vezes faço isso porque acho o livro entediante, confesso que não dou a chance do livro me surpreender, mas no caso deste foi por ser totalmente contrário a TUDO o que eu creio.

    Deixar um comentário
  9. Gabriela (Sorocaba)Disse:

    Excelente resenha ! E o pior é que tá cheio de ( crentes profetas) Juro que qdo vejo um, tenho vontade de mandar…Pro raio que o parta ! Rsrsrsrs Já fui muito enganada por esse espirito, só de ler já fiquei com raiva ! Agora aquela parte do plágio, qdo li logo me lembrei. Com certeza se essa dona Mary, dar uma passadinha na terça com o BP Guaraci, sai pulando banco, é fato ! Se não fosse trágico seria cômico.

    Boa dna Vanessa!
    Beijos

    Deixar um comentário
  10. Gisleide Possidonio _ rebeca, Aracaju/SeDisse:

    Perfeito!!!

    Deixar um comentário
  11. Marisa Costa(Cenáculo São Caetano do Sul)Disse:

    Muito importante este post gostei muito

    Deixar um comentário
  12. GlaucoDisse:

    Oi Vanessa, seu posto é esclarecedor, pena que as centenas de milhares de pessoas que tem lido estes livros, e que tem baseados suas vidas neles, em sua maioria estão cegas e radicais em suas ignorância…

    Deus abençoe Vanessa, lerei mais de seus artigos

    Na fé!

    Deixar um comentário
  13. Obreira AraceleDisse:

    Simplesmente, ótima resenha e uma boa dose de ACORDA IRMÃO!!

    Atenciosamente,

    a mais nova leitora assídua das suas resenhas.
    Ob. Aracele Cunha

    Deixar um comentário
  14. patricia ferraz couto silvaDisse:

    ola Vanessa

    boa tarde!

    leio sempre os seus post! estou lendo o livro amor de redenção , que livro lindoooo! uma benção!

    na fé

    Patricia Ferraz – Cenaculo do Espirito Santo – Capao Redondo!

    Deixar um comentário
  15. Thamires FariasDisse:

    Oi, Vanessa! Foi a minha amiga Andressa que lhe enviou o email, e nós estávamos discutindo sobre esse livro e ,simplesmente , fiquei absmada pela tamanha cara de pau dessas pessoas, e pena porque estão se enganando. Ri quando você disse ‘Plágio, plágio’, sabia que você iria citar esse capítullo, rs’
    Beijinhos, até a próxima resenha :)

    Deixar um comentário

Deixar um comentário