Homens da caverna

postado em: Blog, Mães, Relacionamentos

12 comentários

caver
Normalmente você não entende sua maneira de ser, e muitas das suas reações como mulher. E quando se torna mãe, isso pode te descompor, porque agora haverá alguém muito próximo, e que estará conectado, antenado, e por muitos anos dependendo de você.

Agora a seu estilo de vida, sua conduta, seus gestos e palavras de alguma forma se propagarão, ainda que você esteja ausente, porque até mesmo a sua omissão influenciará para determinar quem será seu filho.

Na semana passada eu li um comentário aqui no blog que me fez voltar ao passado. Eu fiquei olhando para quem eu fui, e por algumas frações de segundos quis poder voltar e ser diferente, fazer diferente. É aí que conseguimos separar o sentimento de ficar parada lamentando o quem eu não fui para a atitude de determinar quem eu quero ser.

Posso culpar a professora de microbiología pelos meus “excessos”, mas na verdade quem decidiu viver com a obsessão fui eu – desinfetar impecavelmente por fora, para disfarçar a sujeira que carregava dentro.

Minha filha já está maior que eu, não dá para reviver a infância dela, mas nas suas curtições de adolescentes, eu busco me fazer presente, como aprender a tirar fotos, por exemplo, ou pelo menos tentar olhar para o lado certo na hora de tirar a foto ☺. Um pequeno esforço que gera o interesse dela em também aprender aquilo que eu ensino.

Para você que tem filhos pequenos, ou que está próximo a quem tem, fica a dica da Meire:
“Eu tento o máximo fazer meus filhos terem uma vida de criança, monto casinhas no quintal, compro argila pra que brinquem de homens da caverna e depois tomar banho de mangueira, o tempo somos nós que fazemos e qualidade está nas nossas mãos. Enquanto as crianças forem dos pais, são os mesmos que escolhem, e devem sempre ir direcionando também, para não perderem o que a tecnologia tem de melhor…Um abraço”

purim

Comentários (12)

comentar
  1. Dannyelly Costa Disse:

    Realmente é como cuida de alguém pra Deus, essa pessoa que cuida será o que você reflete,será como você é.

    Deixar um comentário
  2. Irene Disse:

    Preciso me organizar para não perder estes posts que muito nos orienta.Beijos e um forte abraço.

    Deixar um comentário
  3. Eliete Fraga Disse:

    Realmente os afazeres do dia a dia podem nos distanciar de nossos filhos, fico pensando como posso entrar no seu mundo para entende-lo melhor, fica pra mim a dica atraves dessa mensagem, me interessar pelos gostos do meu filho, pelos assuntos dele, vai fazer com que ele entenda que me interesso e me preocupo com ele. Obrigada pela mensagem. Beijos

    Deixar um comentário
  4. Jeane Disse:

    Boa noite,conversava com uma senhora que me falava da sua preocupacao em ter que trabalhar e nao poder estar muito tempo com seu filho,me fez lembrar a minha infancia,minha mae trabalhava até em 2 empregos por dia,desde pequena, ela nos explicava que ela tinha que sair para trabalhar e muitas das vezes até nos levava.
    Sabe que com o pouco tempo que ela tinha, ela era uma mae tao presente que isso fazia toda a DIFERENCA.Nao é o ter muito tempo ou pouco e sim em como se dedica esse tempo.
    Brincavamos de casinha com os lençóis,faziamos bolos e cafezinho etc… rsrsrsr Ela sabia de verdade adiministrar o seu tempo:trabalhava,limpava a casa,passava as roupas,cozinhava etc… e nos brindava seu tempo com qualidade.

    Deixar um comentário
  5. claudimira Disse:

    muito boa esta dica, tenho uma filha de 7 anos e ela me cobra muito brincadeiras, onda possamos estar juntas compartilhando. obrigada por abrir meus olhos, vou dar mais atenção a minha filha.

    Deixar um comentário
  6. Maria Disse:

    Lindo isso. Tive que aprender muito e dar também quando ganhei uma filha de 19 anos e eu com 38 anos. Lembro que assim que me casei com o pai dela ela se esçreveu no rush, eu que nunca gostei de fotos kkk. Aprendi muito participando e ajudando nas tarefas. Valeu a pena, hoje ela é esposa de pastor o que muito me alegra.

    Deixar um comentário
  7. Sheyla Disse:

    não sou mãe ainda mas procuro sempre aprender e buscar dicas de como devemos tratar os filhos,
    assim como procuro ser uma boa esposa, também procurarei ser uma boa mãe

    Deixar um comentário
  8. Thais Marcolino Disse:

    Bom dia Dna. Patricia.

    O post da sra. me lembrou muito da minha mae, ela tambem tinha essa obseçao, aprendeu com minha avo, toda minha infancia passei presa, no idioma de mae ela estava me cuidando, nao me sujava, nao brincava na chuva, (so si chovia na escola), lembrome que no meu aniversario minhas amigas vizinhas me jogarao farinha dentro da minha casa, e em pleno aniversario minha mae colocou as 3 para lavar a casa inteira, rsrsrsrs, o meu maior sonho era escalar em uma arvore e pegar fruta, sair rolando no chao, brincar de mangueira, o resto do tempo minha maior diversao era colegio e meu cachorro. Minha querida mae começou a perceber isso tambem na minha adolescencia, ai ela começou a participar dos meus gostos, mas esse sonhos de crianças nunca se cumplirao. Porem hoje tenho melhores momentos dos que poderia ter querido ter. Hoje o que sou devo a meu Jesus e a ela, pois peguei seus dons com o ordem, limpeza, tudo arrumado, bunitinho e cheirosinho, claro que nao deixo isso fazer parte da minha vida(isso ela tambem me enzinou), mas devo esse aprendizado a minha mae, isso e muitas coisas mais…
    Nao sou mae, e so terei filhos espirituais, mas com eles tambem serei uma mae divertida mas tambem que corrige. O equilibrio e tudo.

    Um beijo grande <3

    Deixar um comentário
  9. Andréa Disse:

    Quando meu filho era pequeno, eu aproveitei bastante, brincávamos juntos, eu corria com ele brinca de pique esconde era tudo muito maravilhoso.
    Mais quando chegou a adolescência a fase que ele mais precisa de mim eu não soube compreende as suas atitudes querendo que ele fosse do jeito que eu tinha projetado. E isso criou uma grande barreira, hoje ele tem 18 anos eu tento entender mais para mim ainda esta sendo difícil, nos vivemos bem mais eu sei que falta aquelo amor aquele carinho maior que ele espera de mim e saber entender e compreender as suas escolhas.

    Deixar um comentário
  10. Samantha Disse:

    Que forte!
    Nossa, como seria bom se minha mãe tivesse esse entendimento.
    Ela se preocupa com tantas outras coisas, e acaba me esquecendo dos filhos que apesar de “grandes” necessitam muito de sua direção.

    Deixar um comentário
  11. neusa Disse:

    Passei por isso, fiz muitas coisas legais com minha filha, como brincar de boneca com ela, confeccionar roupinhas para as Barbies, realmente quando chega na adolescência, cria-se uma barreira, se não vigiarmos, essa barreira, nos anula totalmente da vida de nossos filhos. E aí que mora o perigo. Temos que ser forte, pois a tendência desta barreira é se fortalecer para nos enfraquecer. Se todas as mães prestarem e derem bastante atenção aos seus filhos nesta fase, evitariam muitos conflitos.

    Deixar um comentário
  12. Maria Helena Cardozo Disse:

    Tenho um filho de 3 anos 10 meses (Davi), e agora vejo ele crescendo cada dia e percebo como Deus é maravilhoso, pois consigo curti-lo e dar meu amor de mãe pra ele sem me cobrar depois pois sei que procuro fazer e dar o melhor de mim, pois, sou seu exemplo…..

    Deixar um comentário

Deixar um comentário