Blog

 

Eu não imaginava que uma criança poderia mudar o olhar de uma mulher que tem coragem de matar. Ela ficou medindo a menina em seu corpo e mostrava que estava muito menor na última vez que a viu. Acho que fazia tempo que não via a filhinha. Percebi que naquele momento seu olhar mudou, não parecia a mulher possuída pelo demônio dos outros dias.

Quem sabe ela não seja ruim, mas sim um mal esteja dentro dela. Sim, porque quando dá ordens para matar, seus olhos ficam escuros, seu semblante se transforma, parece realmente possuída por algo maior que ela; mas, com a filha não, ela se mostrou uma mulher frágil e carinhosa com aquele ser tão pequeno e indefeso, que demostrava seu amor sem querer nada em troca, um amor puro, amor de filha e mãe.

Cadú ficou abraçada com a menina por um bom tempo, parecia não querer mais largá-la.

O tempo das visitas é pequeno, mal dá para matar a saudade. Quando tocou o sinal da despedida, Cadú chorou. Beijou a filha mais uma vez e pegou de suas pequenas mãos o galhinho de flor cor de rosa. Realmente, dentro dela, tem um coração. Nem eu acreditaria nisso se não tivesse visto suas lágrimas.

Todos foram embora, e as presas voltaram cada uma para a sua cela, com fotos, desenhos, presentes, comidas, doces… As paredes ficaram enfeitadas com desenhos e frases das crianças.

Outra coisa que é bacana é quando elas recebem pasta dental e desodorante. Realmente é mais fácil a convivência quando o cheiro é menos agressivo.

A noite foi mais tranquila. Pela manhã recebemos a notícia da menina que estava com tosse, era tuberculose e ficou internada. Todas nós tivemos que fazer exames para ver se alguém havia se contaminado.

No dia seguinte fui chamada na sala da supervisora. Todo mundo lá era tratada por senhora. Eu nem sabia o nome das funcionárias, apenas chamava de senhora.

Ela me disse que por causa do meu bom comportamento poderia trabalhar na ala das operárias durante o dia e à noite voltaria para a minha cela. Recebi essa notícia com muita alegria, afinal, eu teria como ganhar um dinheiro e quando saísse poderia me virar nesse mundo de meu Deus.

Me deram um uniforme cinza, uma calça bem larga e uma camiseta. O tênis era branco e sem cadarço.

Fui, então, levada para a sala de máquinas. Eram muitas máquinas de costura enfileiradas, tinha uma cadeira de madeira e linhas ao lado.

A encarregada me chamou e mostrou minha máquina. Fiquei muito feliz, iria iniciar um trabalho digno. Não via a hora do outro dia chegar. Quando acordei, ainda era noite; esperei a hora do portão abrir e a policial vir me buscar.

Meu coração estava feliz!

No trabalho, apenas o barulho das máquinas. Ninguém conversava, todos ficavam atentos a cada detalhe.

Uma funcionária muito educada me chamou e mostrou como deveria ligar e operar a máquina de costura. Me ensinou a colocar a linha na agulha e passar a reta em cada parte das roupas. Perguntei para onde eram as peças, e ela me respondeu que era para uma empresa de uniformes.

Foi um pouco difícil no começo, toda hora eu a chamava para me ajudar e me orientar. Sempre com sorriso, ela me explicava. Havia algo diferente naquela mulher. O espírito dela não era igual ao das presas, era algo suave e muito gostoso de estar perto. Com o tempo descobri que ela fazia parte daquele grupo evangélico que um dia veio nos visitar.

Levei dois dias para pegar o jeito daquela máquina enorme, mas finalmente consegui. Em uma semana, dominei-a e estava cada dia mais animada com o meu novo serviço.

Quando eu voltava para a cela, estava tão cansada que nem sentia mais os pernilongos me picarem. A gente tinha o horário correto da comida, e ela era servida quentinha.

Um mês se passou, e eu estava aprendendo muito, mas em nenhum momento me esquecia da injustiça feita comigo.

 

Novamente era dia de visitas. Eu não trabalhava no domingo. As famílias vieram visitar as detentas. Presentes e comidas, uma alegria para elas. Angela recebeu um radinho de presente. Pelo que entendi, sua mãe era evangélica, e ela nunca quis saber de ir junto para a igreja. Foi mesmo para o mundo do crime. Ela usava cabelo vermelho-sangue, com pontas amarelas. Tinha sinal de brincos por todo lado. Como na cadeia não pode entrar com eles, teve que tirar, mas as marcas estavam sob seu rosto todo.

Capítulo 10

Méuri Luiza

Colaborou: Meuri Luiza

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • thayná

    olá, esse fato é muito forte nos insina , como deverdade é a vida lá fora não e verdade?rs tenho 13 anos, não perco nenhum capitulo. todos os dias entro no blog da dona cristiane cardoso essa história esta muito interessante pois continue assim …
    BY: sua admiradora

  • Jéssica Karine Gama

    HUM SEMPRE ACREDITEI Q ESSA HISTORIA TERÁ UM FIINAL FELIZ DE SUPERAÇÃO,COM ESSE NOVO EMPREGO,ELA ESTARÁ CAPÁCITADA PARA O MERCADO DE TRABALHO FORA DA CADEIA,QUEM SABE ELA SE TORNARÁ UMA GRANDE ESTILISTA ?
    KKKKKKKKKKKKK
    VOU VER O PROXIMO POST J´´A JÁ !

  • Hola dn.Meuri esta muito intrigante esta historia, neste capitulo fiquei feliz por Antonia creio que as coisas para ela vai começar a melhorar.
    Que Deus abençoe a senhora.

  • Elise Souza

    Nossa dna Meuri, essa história é a mais pura realidade dos dias atuais. Acompanhei as outras duas e gostei muito. Tenho certeza que cada uma delas, que mostram realidades diferentes, venham servir como um testemunho e ganhar muitas almas para o Senhor Jesus. Que Deus te abençoe com mais e mais ideias e que essas histórias venham se tornar livros, minisséries para salvar almas. Abraços à sra

    • Meuri

      Deus te abençoe Elise

  • joeldaleitao

    Bom dia
    cada semana a historia dessa jovem fica mais interessante,eu quero ver logo a hora que e avida dela venha a mudar.

  • Cristina

    TEnho acompanhado todos os capitulos, muito bom.

  • mari

    OTIMA HISTORIA ESTOU GOSTANDO MTO!!

  • Alessandra

    Gosto muito dessas histórias,
    Que Deus continue a dar inspirações para a senhora

    Bjinhos

  • Dayane

    Nossa a cada Capítulo, fico com mais vontade de saber oque vai acontecer!!!! Já li as historia da Crysti e a da Marina, e não perco nenhum capítulo dessa… Que Deus continue lhe abençoando!!!

    • Meuri

      Amém Dayane, Deus te abençoe.

  • Camila MG

    Boa Noite
    acompanho suas historias e são lindas as vezes me pego imaginando as cena ao ler a historia rsrsrs parabéns continue escrevendo assim tenho certeza que esta ajudando muita gente mesmo sendo ficticia =)

    • Meuri

      Obrigada Camila, Deus te abençoe.

  • Olá D. Meúri, queria saber se a senhora tem um email, de contato, se tem, pode me dá ?

  • Isy

    Meu Deus muito forte! Parabéns D. Méuri, já li todos os capitulos e estou gostando muito dessa história.. Amo todas as histórias, a de Crysti , a de Marina e agora a de Antonia.. Parabéns pelo seu trabalho, e que a Senhora venha a cada dia mais ser usada por Deus, para nos edificar com essas histórias.. Fique com Deus 🙂

    • Meuri

      Fica com Deus também Isy.

  • Aniele Carlosa

    Olá Dona Méuri Luiza

    Estou acompanhando a vida da Antonia todos os dias, estou torcendo para que ela tenha um encontro com Deus, espero que seja logo possa sair daquele lugar.

    Beijos.

    • Meuri

      Vamos torcer por ela Aniele. Deus te abençoe.

  • monique borges pereira-rp

    bom dia dona meuri,que historia bacana,este capitulo eu gostei muito pois aantonia estava se encontrando naquele lugar frio e sombrio,sem familia,devido seu comportamento teve a oportunidade de trabalha e ainda mais que ela iria ser remunerada pelo serviço,e tambem que ali poderia encontrar pessoas que tem um coraçao bom como a moça a ajudou para manusear aquela maquina e entendi que ela tinha um semblante diferente das outras devido ter DEUS em sua vida…muiti bacana tbem foi a parte onde Cadú recebeu a visita de sua filha e antonia viu que al tinha um grande e coraçao quando a filha estava presente… sabe dona Meuri esta historia é muito bacana pois como fazemos o trabalho no presidio entendi muito bem, o que antonia estava passando..pois fazemos trabalho com os familiares ddos presos e das presas,e tbem dentro do presidio…estas historias tem me ensinando muitas coisas,pois sao historias que sao reais….QUE DEUS abencoe muito a senhora e que continue escrevendo pois a cada historia é algo diferente,eu estou amando,e nao vejo a hora de sair o cap 10…..esta deixou com gostinho de quero mais… arrebentou…bjussss

    • Meuri

      Deus te abençoe Monique.

  • Gabriella

    O que será que vai acontecer???

    • Meuri

      Olá Gabriella, tudo bem? Muitas coisas irão acontecer nos próximos capítulos.
      Deus te abençoe!