Blog

 

Por alguns segundos, minha mente voltou ao passado, me fazendo lembrar os dias em que brincava com minha irmã no milharal… Minha irmã … Tenho que sair daqui para cuidar dela…  inclinei minha cabeça e chorei.

Vi pessoas muito bonitas de terno e gravata passando de um lado para o outro. As mulheres de preto ou de cinza, com seus terninhos apertados e saltos. O perfume delas era muito bom, usavam maquiagem e estavam sempre com muito papel e pastas em baixo do braço. Fiquei com vergonha… A chuva molhou meu cabelo e minha roupa, estava cheirando a cachorro molhado. Eu me sentia e era um lixo.

Sem saber, fiz um movimento para coçar minha perna, e as algemas se apertaram em meu pulso ainda mais. Senti muitas dores, parecia que estava rasgando a minha pele. Tentei falar com uma policial que estava perto, mas ela me mandou calar a boca.

Tive vontade de chorar…Eu estava sendo desprezada, humilhada, não tinha ninguém, estava com fome, suja… Eu era sozinha… Não resisti e chorei. Havia uma vazio muito grande dentro de mim. O desespero é imenso. A humilhação que uma presa passa é muito grande.

Naquele dia, o policial não me deixou falar nada, tudo o que parecia não era. Nunca trafiquei, nunca roubei, nunca me prostituí. Eu só queria lavar o vidro dos carros para ganhar uns trocados e comer…

Alguém chamou o meu nome. Fui puxada pela camiseta e levada até uma sala. Me tratavam como um bicho.

Tudo muito bonito, móveis escuros e grandes. Dois policiais armados entraram comigo, um de cada lado. Uma juíza mandou eu me sentar. As algemas doíam tanto que tive que pedir:

– Senhora, pelo amor de Deus, dá para afrouxar um pouco essa algema? Eu estou morrendo de dor.

Ela balançou a cabeça autorizando. Quanto alívio em meus punhos, mas isso não impediu que eu sentisse o sangue correndo pelas minhas mãos.

Muitas perguntas foram feitas, inclusive sobre a minha família. A doutora achou estranho eu não ter documentos, achou que eu estava mentindo, mas expliquei que de onde eu vim isso não existia:

–  A gente, lá no sertão, não tem documento para nada, tudo é feito por base de confiança na palavra da pessoa. Além disso, quando meus pais morreram, eu era pequena, e não haviam me registrado no cartório por ser muito longe, nem a minha irmã tem registro.

Ela me ouviu atentamente, escreveu algo em um papel e me mandou sair da sala. Chamou outro nome, e assim por diante. Todas nós fomos atendidas. Eu até tentei dizer minha idade, mas acho que ela não acreditou. Devido o trabalho no sertão, nossa pele fica grossa de tanto sol e nossa aparência é muito mais velha do que somos…

Por volta das 15h, voltamos para o presídio. Voltei para a cela. O horário do almoço já havia passado e ninguém pegou a minha marmita. Mais uma vez me senti um lixo e sozinha. Fiquei com fome até a noite, quando chegou o mingau de arroz. Eu nem senti o gosto ruim dele, queria mesmo acabar com a minha fome.

Aqui na cadeia tem gente de todo tipo. Mulheres que mataram seus familiares ou alguém desconhecido; que roubaram; traficaram; e outras são um tal de 171. Aqui tem gente muito ruim, que quer, a todo momento, derramar sangue. Parece que elas procuram briga para fazer guerras. Os palavrões são todo tempo, os xingamentos e mentiras são inúmeros. Aqui dentro, o diabo reina, é o senhor dessas meninas.

Uma delas é chefe de alguma coisa no morro. Ela dá ordem daqui de dentro e a pessoa lá fora é morta. Eu não entendo como alguém que está presa em uma cela pode dar ordens aqui e outras pessoas lá fora executarem. É incrível! Uma palavra dela aqui move o mundo de lá.

Capítulo 8

Méuri Luiza

 

Colaborou: Meuri Luiza

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • tayrine

    É verdade dona Meuri. quantas pessoas estão passando por a mesma situação da Antonia. almas que estão sofrendo precisando de deus. Porque ele é o único que pode livra uma pessoa desta situação. mas conta com ajuda da gente para leva ele até essas pessoas…
    que deus abençoe! a sr. um forte abraço!

  • Ede

    Sra Meuri, es muy fuerte la historia, hace pensar que uno ni se imagina por la lucha que pasan los presidiarios y que nosotros debemos hacer algo por ellos! Dios le bendiga!

  • Michelle Araújo,

    Muito forte está história, serve também para nós valorizarmos a liberdade que temos aqui fora, a comida que temos, sono tranquilo que Deus nos permite, quantas dariam de tudo para estar no nosso lugar… Dona Meuri, que Deus abençoe muito a Srª ás histórias são muito reais, e realmente nos tocam na alma.

  • tatiana

    Dn Meury…É incrivel as histórias que a senhora conta,parece que a cada semana a gente vive tudo isso que a senhora escreve.No primeiro momento eu achei que era tudo real,depois eu descobri que é tudo história contada,mesmo assim eu não deixei de ler.PARABÉNS!!!A SENHORA JÁ LANÇOU ALGUM LIVRO?Porque faria muito sucesso…DEUS ABENÇOE!

    • Meuri

      olá minha querida Tatiana, as histórias tem personagens fictícias, porém na vida real acontecem de verdade. É uma forma de mostrar para as pessoas que existe O Deus vivo e que Ele pode mudar a vida delas. Deus te abençoe muito.

  • Jéssica Karine Gama (FJ ITAPEVI)

    COITADA DESSA MOÇA HEIM D. MEURI,ISSO PQ ELA NÃO ESTAVA FAZENDO COISA ERRADA,MAS SÓ DELA ESTAR PERTO DESSAS PESSOAS NA HORA QUE A POLICIA CHEGOU ACONTECEU TUDO ISSO,IMAGINA QUANDO SE ANDA COM ESSE TIPO DE GENTE O DESASTRE É MUITO MAIOR.
    MAS ACREDITO QUE A ANTONIA VAI SE SAIR DESSA E VAI SE TORNAR UM EXEMPLO,SERÁ UMA MULHER FORTE UM GUERREIRA.

    NA FÉ :*

    • Meuri

      ok Jéssica, então torça para ela nos próximos capítulos! Deus te abençoe.

  • Polliane Cardoso - Planaltina - DF

    D.Méuri,
    Esse conto é bem tramatico, triste e o pior de tudo é saber que existem mulheres nessa situação. Que nosso Deus ilumine os caminhos dessas pessoas que vivem o lado avesso da vida.
    Abraços…

    • Meuri

      Abraço Polliane. Deus abençoe.

  • Daniela Poso

    Deve ser muito triste os dias em uma prisão, ainda mais quando se é inocente.
    Quantas Antônias não devem existem por ai, comendo o pão que o diabo amassou.
    Só mesmo a mão do Senhor Jesus para alcanças essas vidas castigadas pelas injustiças desse mundo.

    • Meuri

      Pois é Daniela, só consegue sair desse fundo de poço quando se conhece o Deus vivo e então passa a usar a Fé. Deus te abençoe.

  • lilian cruz

    nossa que tristeza tomara que ela saia dai logo

  • Elizabetty Moraes

    Isso faz com que nós reflita, eu só jovem,tenho 17 anos e tenho todo carinho que preciso principalmente da minha mãe, tive uma infância ótima, ñ tenho de que reclamar, toda vez que leio essas histórias eu procuro fazer o meu melhor,pois eu tenho uma pessoa muito precioso em minha vida, o Senhor Jesus Cristo! Essa história cada vez me surpreende mais, muito forte mesmo!

  • Rayane Dantas

    Que Deus , abençoe , abundantemente dn Meuri, he verdade ,a cada dia ,me surpreendo ,!!

    • Meuri

      Deus te abençoe Rayane.

  • joeldaleitao

    Bom dia dona cris

    Eu lendo essa historia imagino que nos presidios estao cheios de pessoas inocentes,deve ser a pior experiencia que uma pessoa possa passar,pagar por um erro que nao cometeu,e muito forte essa historia.

    Que aja justica na vida dessa moca,que a historia dela mudar de uma forma maravilhosa,Deus abencoe.

  • Ana Karolina- Brasília

    nossa a cada vez que eu leio fico com o coração na mão pois o mundo é assim mesmo e sempre fico com muita expectativa para a próxima terça-feira pois creio que ela vai ter que sai dessa situação!!!
    NA FÉ!!!

  • SIMONE PONTES-RECIFE/PE

    QUE TRISTEZA, QUE DESESPERO, SÓ QUEM JÁ PASSOU POR ISSO SABE A DOR QUE SENTE. EU SÓ FICO IMAGINANDO E FICO COM O CORAÇÃO APERTADO EM SABER QUE A CADEIA É UMA ESCOLA DE BANDIDO, NÃO SERVE PARA CORRIGIR AS PESSOAS.
    AS PESSOAS TEM QUE PAGAR PELOS SEUS ERROS, MAS NEM UM CACHORRO QUE ESTÁ NA RUA FICA NAS CONDIÇÕES DESSAS PRESAS.
    A PRISÃO DEVERIA SER UM LUGAR PARA CORRIGIR E NÃO MALTRATAR, SEJA LÁ O QUE FOR QUE FIZERAM DE MAL.
    QUEM SOU EU PRA DIZER QUE FULANO OU BELTRANO TEM QUE SOFRER OU MORRER?
    A JUSTIÇA DE DEUS NÃO FALHA, E VEM PRA TODOS.
    E DEUS É MISERICORDIOSO PARA PERDOAR, ENTÃO VAMOS SEGUIR O SEU EXEMPLO.
    UM ABRAÇO DONA CRIS.

    • Meuri

      É por isso que o trabalho nos presídios é muito importante. Deus te abençoe Simone.

  • Gabriella

    As historias que são criadas pela Sra. são incríveis… Muitas vezes entro só para acompanhar a história e desanimada pensando que o capitulo de hoje será chato ou que já sei o que irá acontecer, mas todas as vezes me surpreendo com a forma que a Sra conta.
    Parece tão verdadeiro, é como se vivêssemos a vida da personagem!
    Parabéns pelo dom que Deus lhe deu!

    • Meuri

      Que bom Gabriela que está gostando. Deus te abençoe.

  • Rafaela

    meu deus quanto suspense fico em countdown para que chegue logo a proxima terca!!!

    amanda cada capitulo de Antonia!!!!!!

    Na fe!