Blog

 

Desci do avião e fiquei um pouco perdida, afinal já fazia muitos anos que eu estava fora de casa. Fui até a venda que costumara trocar leite por feijão. Estava tudo mudado. A cidade estava muito diferente. Havia casas no lugar do mato. Havia várias árvores frutíferas nos canteiros. A cidade mudou para melhor ou meus olhos que estavam vendo diferente agora.

Encontrei o dono da venda. Ele não me reconheceu.

Perguntei da minha irmã, minha única família. Eu estava com um pouco de medo do que iria ouvir. Tinha receio dela não estar bem.

Ele sorriu para mim e perguntou se eu era aquela garotinha magrela Antônia.

Respondi que sim. Me chamou então para conversar atrás do velho balcão de madeira. Me ofereceu um lanche. Eu aceitei pois estava com muita fome, mas queria mesmo é saber da minha irmã.

– Ela não mora mais no mesmo lugar ,menina. Como pode ver aqui tudo mudou. A cidade cresceu e temos muitos habitantes. As vendas estão indo muito bem, pois temos muitos turistas.

– Por favor me fale da minha irmã. Quero notícias da Marcia. Qual o endereço em que ela está? O senhor sabe?

Ele apanhou um papel engordurado e fez um pequeno mapa com um lápis quase sem ponta indicando o novo endereço. Disse que era perto, que poderia ir caminhando e vendo a grandeza que ficou a cidade.

Peguei aquele papel e coloquei em meu bolso. Fui caminhando e apreciando o caminho.

As casas já não eram de madeira, foram reconstruídas com tijolos e pintadas com cores alegres. Como era primavera, muitas flores coloriam os jardins.

Fui andando e pensando em tudo o que aconteceu comigo. Como eu estaria se tivesse ficado parada naquele sertão de meu Deus.

Vinte minutos andando e cheguei até a casa marcada no mapa. Um portão de madeira, com muitas folhas verdes encobrindo o muro. Toquei a campainha. Meu coração estava saindo pela boca. Minhas mãos suadas desfizeram o papel. Cada segundo parecia uma eternidade. me encostei em uma pequena árvore com folhas avermelhadas.

O que teria acontecido com Marcia? Como ela estava? Seria mesmo esse endereço? Um milhão de perguntas em poucos segundos.

Um cão começa a latir. Percebo que está tentando sentir meu cheiro pela fresta da porta.

Alguém abre.

– Boa tarde, procura alguém?

Uma senhora muito simpática, com perfume de jasmim me atende.

– Sim, por favor, aqui é casa da Márcia?

– Sim minha querida, você quer falar com ela?

– Com toda certeza, é o que eu mais quero? Ela está bem?

– Quem é você? Eu te conheço?

– Sou Antônia.

A senhora de cabelos brancos ficou sem reação. Por alguns segundos não saiu palavra alguma de sua boca.

– Sou Antônia. Resolvi falar um pouco mais alto para ver se me compreendia.

– Sim minha querida, entre. Você é esperada há muitos anos…

Muitos anos? Agora eu fiquei sem reação… Não estava entendendo nada. Quem era aquela senhora?

Ela pediu para que entrasse. Eu continuava sem sentir meu corpo tamanha ansiedade.

– Sente-se minha filha. Vou lhe servir um chá.

Eu não queria chá! Queria minha irmã!

Ela fez uma ligação. Fiquei atenta em suas palavras, mas não consegui entender a conversa.

– Sente-se e fique a vontade. Daqui a pouco terá sua resposta.

Ela conversou muito comigo, perguntando o que houve nesses anos. Parecia muito interessada. Contei minha história e como Deus me livrou da prisão.

Em nenhum momento ela me falou de Marcia.

De repente ouço um grande barulho na porta. Alguém entra pela sala desesperadamente.

– Antônia!!

É voz de mulher. Me levanto rapidamente olhando em direção àquela voz!

 

Último capítulo

Méuri Luiza

 

 

Colaborou: Meuri Luiza

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

  • Rebeca

    Oo que aconteceu com a Marciaa ?!

  • Jenifer

    Meu Deus!! essa historia se pone cada vez mais interesante e isso que esta chegando ao fim! rsrsr aguardo pelo capitulo final! saludos Sra Meuri

  • MARY

    AHHH!!! QUE SUSPENSE E AGORA???
    ESTOU CURTINDO MUITO!!

  • Rebecka

    Fiquei muito curiosa agora. Nossa Márcia deve ser uma moça agora.

  • Patrícia

    Vou contar os dias para que chegue o último capítulo dessa história que com certeza foi uma grande lição para nós.

  • Elaine Santos - SP

    Ah dona Meuri, rsrs! Só para nos deixar ansiosas para ver o final!

  • Cristal

    Qual cidade era esta que a sra vivia?

  • Rafaella Rizzo

    Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah para sempre na melhor parte!!! HUSAHSUAHS Quero saber o que aconteceeeeeeu :O

  • Aniele Carlos

    Que suspense, achei que o reencontro seria neste capítulo! Vou ter que esperar mais uma semana.

  • Christina Moura

    Pôxa, só na próxima semana ???
    Ai que judiação….aguardando ansiosa.
    Abraço carinhoso.
    Chris/Acre

  • Caroline Almeida

    aaaaaaaaaaai . Estava lendo com tantooooooo emtuziasmo e nada de Marcia ainda ! . Espero que seja ela .. rs
    Muito bacana a historia da Antonia: )

    • Caroline Almeida

      aaaaaaaaaaai . Estava lendo com tantooooooo entuziasmo e nada de Marcia ainda ! . Espero que seja ela .. rs
      Muito bacana a historia da Antonia : )

  • Nadine Marquioli

    Aiiii Dna Méuri!!A sra nos mata de curiosidade!!!rsrsrsrs
    Qro mto que a Antonia tenha um final feliz!!

  • tatiana silva

    Ai Jesus , parece ate que estou vendo a cena , Deus e maravilhoso Ele prepara todas as coisas .
    Minha filha tem 12 anos e todas as terças ela chega do colégio perguntando se ja esta postado outra parte da historia , ela acompanha desde a primeira e tenho percebido que o temor a Deus tem aumentado , ela me disse mãe olha a vida da Antônia ,Deus olhou pra ela qdo ninguém mais lembrava dela Deus e muito bom né . rsrs eu ri e disse pois e Karen Deus e maravilhoso .
    Abraços e que Deus a abençoe muito !!

    • Meuri

      Fico muito feliz com isso Tatiana. Um beijo para você e sua filha Karen. Deus abençoe vocês.

  • fayanne

    Suas historias sao incriveis! Estou curiosa para o final!
    Deus abençoe.
    bjos

  • Isabella

    Sra. Méuri! A sra. parou no melhor momento da história! Assim não dáá!
    Vou ficar ligadiiisiima para a próxima terça! Muito Obrigada, por estas histórias que demostram que Deus nunca falha!
    Beijinhos, que Deus a abençõe!