"Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade."
12
mai2010

A moeda perdida

blog12052010

Meu nome é Elaine, faço parte do corpo de obreiros e gostaria de contar um pouco do que passei nos últimos anos.

Desde quando fui levantada a obreira, sempre servi a Deus com dedicação e temor. Mas, há alguns anos, comecei a me perder, dentro da obra, dentro de casa. Sobrevieram sobre minha vida vários problemas: familiares, financeiros, problemas que me envergonhavam como obreira. Então, comecei a olhar para os meus problemas, para minha vida e deixei de olhar para Deus. Foi assim que tudo começou, e deixei a dúvida entrar.

É como aprendemos: “Se pela fé conquistamos tudo, pela dúvida perdemos tudo.”

Eu comecei a deixar os pensamentos ruins invadirem e até dominarem minha mente. Começou com um pensamento de que eu não tinha o Espírito Santo, depois minha mente foi ficando impura. Eu aceitava os pensamentos ruins que passavam pela minha mente. Eu, que sempre fui uma pessoa pura de mente e coração, comecei a pensar coisas horríveis. Tudo que existe neste mundo e que foge da disciplina de Deus: prostituição, homossexualismo, dúvidas a respeito de campanhas de fé.

Eu nada havia cometido. Na verdade, eu não queria estar como estava. Dentro do meu ser eu abominava tudo isso, mas eu estava como um vulcão em erupção. Eu estava confusa, sem saber o que fazer da minha vida. Eu achava que não tinha mais jeito (por várias vezes pensei em morrer), pois eu havia me contaminado e deixado a  “mulher exterior se corromper”. Não conseguia vencer os pensamentos que me dominavam; não conseguia mais colocar o uniforme. Eu chorava, meu coração estava em dores. Todos os dias, eu não sabia lidar com tantas coisas ruins e impuras na minha mente. E quando eu tentava orar, me levantar daquele problema espiritual e recomeçar, eu não conseguia. Me sentia acusada, oprimida, sem conseguir reagir.

Eu estava como aquela parábola da moeda perdida. Lucas 15.8. Não tinha saído da obra, não tinha cometido pecado, mas estava confusa a ponto de desistir de tudo.

Nesta situação, eu procurei o bispo da minha igreja. Eu não aguentava mais. No dia em que fui pedir ajuda, eu estava disposta a tudo para me levantar. Eu esqueci uniforme, esqueci a vergonha, esqueci os anos de obreira que eu tinha e abri meu coração. O bispo, que me atendeu como um pai foi usado por Deus para me achar.

Aprendi que muitas lutas vencemos sozinhos, mas outras, quando não conseguimos vencer, temos que pedir ajuda, confessar e confiar nos homens de Deus que estão no altar.

Podemos até perder tudo, abrir mão de título na igreja, aparência, pessoas, só não podemos abrir mão da nossa SALVAÇÃO, até o fim.

Obreira Elaine

<
24
jan2010

Carta de uma detenta

Escrevo esta carta para que o senhor ore por mim, e também, se sentir em seu coraçao, leia para os obreiros.?Há 13 anos, abandonei a Obra do Senhor Jesus porque deixei a mágoa entrar em meu coração.??Fiz a Obra de Deus de 1991 a 1996. Era uma obreira abençoada, fazia a obra com todo amor, evangelizava, pois eu gostava de sair em campo, e participava de todos os grupos, até em presídios.??Eu sempre servia em igrejas sedes, onde o trabalho de obreira era grande, mas nunca murmurei.  Minha vida finaceira era uma bênção, minha família estava quase toda convertida. A primeira vez que a IURD fez uma excurção a Israel, eu fui. Percorri todos os caminhos de Jesus, foi uma bênção. Tudo era muito abençoado em minha vida. Cheguei a ser responsável pela escola bíblica da região de São Cristovão, na cidade do Rio de Janeiro, depois dali, abrimos um centro para viciados em drogas, e muitos estão até hoje no caminho do Senhor.?          ?Mas, um dia, eu dei alguma brecha e deixei o orgulho entrar em meu coraçao. Fiquei muito magoada com um pastor e, apesar da minha razão, deixei  minha Salvação ir embora.??Larguei tudo, e tudo que eu fazia de ruim, voltei a fazer  pior. Voltei a usar drogas e, com muito mais forças, tentei me matar quatro vezes. Em 2002, quase morri de overdose. Fui internada, então fiquei 6 anos sem me drogar, mas não conseguia voltar para os braços de Jesus.
Ano passado, voltei a me drogar novamente e fui fazendo tantas insanidades que acabei sendo presa.??Nunca imaginei isso, mas aqui eu pude acreditar que parei de fumar, de me drogar e não sinto vontade.  Tenho buscado a presença de Deus e o Espírito Santo, pois, quando eu sair daqui, voltarei a servir a Jesus. Quero voltar a fazer a Obra de Deus, então, orem por mim, pois sei que o diabo fará de tudo para que isso não aconteça. E que nenhum homem e nenhuma mulher de Deus jamais abandone e saia da presença de Deus, pois o que está escrito na Palavra de Deus é verdade: eu comi dos porcos.?Obrigada.?   ?Marcia Moraes
Orem por mim e cuidem de sua Salvaçao!
Esta carta é de uma ex-obreira que se encontra presa
Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. Por isso, diz: voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.
Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. (Mateus 12.43-45)

Escrevo esta carta para que o senhor ore por mim, e também, se sentir em seu coração, leia para os obreiros. ?Há 13 anos, abandonei a Obra do Senhor Jesus porque deixei a mágoa entrar em meu coração.

Fiz a Obra de Deus de 1991 a 1996. Era uma obreira abençoada, fazia a obra com todo amor, evangelizava, pois eu gostava de sair em campo, e participava de todos os grupos, até em presídios.

Eu sempre servia em igrejas sedes, onde o trabalho de obreira era grande, mas nunca murmurei. Minha vida financeira era uma bênção, minha família estava quase toda convertida. A primeira vez que a IURD fez uma excursão a Israel, eu fui. Percorri todos os caminhos de Jesus, foi uma bênção. Tudo era muito abençoado em minha vida. Cheguei a ser responsável pela escola bíblica da região de São Cristovão, na cidade do Rio de Janeiro, depois dali, abrimos um centro para viciados em drogas, e muitos estão até hoje no caminho do Senhor.

Mas, um dia, eu dei alguma brecha e deixei o orgulho entrar em meu coração. Fiquei muito magoada com um pastor e, apesar da minha razão, deixei  minha Salvação ir embora.

Larguei tudo, e tudo que eu fazia de ruim, voltei a fazer  pior. Voltei a usar drogas e, com muito mais forças, tentei me matar quatro vezes. Em 2002, quase morri de overdose. Fui internada, então fiquei 6 anos sem me drogar, mas não conseguia voltar para os braços de Jesus.

Ano passado, voltei a me drogar novamente e fui fazendo tantas insanidades que acabei sendo presa.?? Nunca imaginei isso, mas aqui eu pude acreditar que parei de fumar, de me drogar e não sinto vontade. Tenho buscado a presença de Deus e o Espírito Santo, pois, quando eu sair daqui, voltarei a servir a Jesus. Quero voltar a fazer a Obra de Deus, então, orem por mim, pois sei que o diabo fará de tudo para que isso não aconteça. E que nenhum homem e nenhuma mulher de Deus jamais abandone e saia da presença de Deus, pois o que está escrito na Palavra de Deus é verdade: eu comi dos porcos.

Obrigada.

Marcia Moraes
Presa na 72 DP

Orem por mim e cuidem de sua Salvaçao!

.

Esta carta é de uma ex-obreira que se encontra presa na 72 DP.

Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos procurando repouso, porém não encontra. Por isso, diz: voltarei para minha casa donde saí. E, tendo voltado, a encontra vazia, varrida e ornamentada.

Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali; e o último estado daquele homem torna-se pior do que o primeiro. (Mateus 12.43-45)

<
Pesquise outros posts
Pastor Online
Anúncios
Palavra Amiga
Idiomas
Clique em curtir e seja um Fã no Facebook
Assine nossa newsletter!
Cadastre-se e receba diariamente todas as novidades do blog:
* obrigatório
Siga-me no Twitter
Canais Oficiais
Ganhe almas! Divulgue no seu site
 
O pão nosso para 365 dias
arcacenter.com.br
www.bispomacedo.com.br - © Copyright 2015 - Blog do Bispo Edir Macedo