Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

Vivemos numa sociedade que “exige” que se diga: “Eu te amo”.

Se a esposa não escuta o marido falar “eu te amo”, pelo menos uma vez na semana, ela começa a questionar se é de fato amada por ele. Diga-se de passagem, não sou contra o dizer, espontaneamente, “eu te amo” para a pessoa amada. O que tento mostrar é que, por mais que o marido “prove” que ama a esposa, sendo fiel a ela, provendo para ela, protegendo-a, considerando-a etc. (a lista pode até ser longa), a esposa se encanta ao ouvir o “eu te amo” do marido. É como se ele então “provasse” seu amor com “palavras”. (De novo: Não sou contra e faço isto com minha esposa “espontaneamente”.)

Imagine uma esposa que, desconfiada do marido e da secretária dele, coloca uma câmera para vigiá-lo sem que ele saiba e, já no primeiro dia, o vê beijando a secretária. Depois ele chega em casa, e a primeira coisa que ele diz é: “Eu te amo!” Como essa esposa reagirá? Com certeza ela se sentirá muito mais ofendida. Não é?

Agora, quando se trata de dizer para Deus, “eu te amo”, temos que, antes de assim dizer, refletir se de fato estaremos agradando ou irritando a Deus. Tenha fé: Deus sabe de TUDO sobre nós! Nossas intenções, pensamentos, sentimentos, absolutamente TUDO é conhecido por Ele. Talvez por isso, em toda a Escritura, ninguém disse para Deus: “eu te amo”.

Quem realmente ama a Deus não precisa ficar falando todo tempo que O ama, mas PROVA que O ama de fato, ao manifestar uma fé radicalmente obediente à Sua Palavra.

O bispo Macedo estava falando que quem realmente ama a Deus, ama o seu próximo, pois é Mandamento de Deus. Na Bíblia, único momento que alguém disse “amar” a Deus, foi quando o Senhor Jesus perguntou a Pedro: “Simão, filho de Jonas, amas-Me?” A resposta de Pedro foi: “Tu sabes que Te amo.” Mas, para o Senhor Jesus não bastava Pedro apenas dizer que O amava. Ele exigiu uma prova: “Apascenta (ame, cuide, sacrifique-se pelas…) as Minhas ovelhas.” (João 21.16)
E assim se deu por 3 vezes seguidas.

Agora que temos uma ideia mais clara do que é amar a Deus, deveríamos pensar mais antes de falarmos: “Eu te amo, Deus”.

Deus os abençoe!

Bispo Randal Brito
Colaborou: Bispo Randal Brito

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: