Não escolhemos vir ao mundo, mas temos o direito de escolher onde viver a eternidade.

Blog

9º Dia do Jejum de Daniel

Quem tem fé para perdoar tem fé para receber perdão.
Só quem tem o coração perdoado tem a autoridade para perdoar seus ofensores. Deus não pode perdoar nossos ofensores por nós. Tal poder imensurável pertence apenas aos enfermos de coração. Daí porque Ele nos obriga a perdoar.

Só quem tem o coração livre de mágoas pode querer o bem de outros. Como uma alma cheia de mágoas pode abençoar alguém ou lhe desejar algo de bom?

O cristão pode ter fé para conquistar um bom casamento, ter fé para conquistar o sucesso econômico, a cura Divina, enfim, ter fé para ganhar o mundo inteiro, mas, se não tem fé para perdoar, não terá fé para alcançar perdão. Afinal de contas, está escrito e determinado:

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas. Mateus 6.14,15

Veja os números que não mentem:

Na parábola do Credor Incompassivo (Mateus 18.23-35), o Senhor Jesus deixa claro que a nossa dívida em relação a Ele é infinitamente maior do que as que contraímos entre nós, míseros humanos.

Veja os números: o primeiro servo devia ao Rei 10 mil talentos;
1 talento é igual a 6 mil dias de trabalho (6 mil denários);
A dívida desse servo era igual a 10 mil talentos vezes 6 mil denários = 60 milhões de denários;
Significa que esse servo teria de trabalhar 60 milhões de dias para pagar sua dívida. Portanto, ele deveria viver e trabalhar aproximadamente 165 mil anos.

O segundo servo devia ao primeiro apenas 100 denários, isto é, a mixaria de pouco mais de três meses de trabalho. Mas ele não o perdoou.

O que o Senhor Jesus deixa claro é que as nossas dívidas com Ele são impagáveis. Mesmo assim, diante da nossa humilhação e confissão de pecados, Ele nos perdoa.

Em compensação, Ele exige que nós perdoemos as faltas, falhas e erros uns dos outros. Do contrário, jamais encontraremos Seu perdão também.

Bispo Edir Macedo
Bispo Edir Macedo

Participe! Deixe seu comentário sobre este post

Você sabia que também pode receber as mensagens do meu blog por e-mail? Preencha abaixo: